15/11/2018 às 07h01min - Atualizada em 15/11/2018 às 07h01min

Eleição para presidência pode ter chapa única

Apenas composição emcabeçada por Baiano está formalizada até o momento

VINÍCIUS LEMOS
Câmara de Uberlândia fará eleição da mesa diretora na próxima segunda-feira | Foto: Reprodução Facebook
Com um número de apoiadores que gira em torno de 17 a 21 vereadores na Câmara de Uberlândia, a única chapa formalmente anunciada até agora, encabeçada por Hélio Ferraz, o Baiano (PSDB), pode concorrer sozinha à eleição para a mesa diretora. O outro nome apresentado como concorrente é o de Juliano Modesto (SD), mas a duas sessões ordinárias para a votação em si, a composição de chapa ainda não está acertada. Pelas leis da Casa, as inscrições das chapas podem acontecer até 30 minutos antes do início da votação, que vai acontecer na segunda-feira (19).

Em conversas com vereadores durante a reunião de ontem, a reportagem do Diário de Uberlândia apurou que há um esvaziamento de apoio a Modesto. Se concretizado o apoio de 21 dos 27 vereadores a Baiano, Modesto teria apenas os votos dos seis nomes da chapa para concorrer à mesa diretora do Legislativo.

Apesar disso, Modesto disse que sua concorrência à Presidência continua, que a chapa será formada até o prazo adequado, assim como o trabalho para costurar apoio segue firme. “Dependemos de alguns grupos da Casa e da construção de apoio. A chapa já formada vem de vários mandatos, inclusive com pessoas que já foram presidentes anteriormente, e há rejeição em relação a isso”, disse o atual secretário e ordenador de despesas da Câmara.

A chapa de Baiano foi anunciada durante sessão no dia 7 deste mês e contará com Vilmar Resende (PSB) como 1º vice-presidente, Wilson Pinheiro (PP) como 2º vice e Doca Mastroiano (PR) como 3º vice. Ronaldo Alves (PSC), que anunciou a chapa, é o candidato a 1º secretário e ordenador de despesas e Isac Cruz (PRB) fecha a chapa como 2º secretário. Pinheiro era cotado para a disputada presidência, mas desistiu do cargo para fazer composição com Baiano, segundo ele. “Desisti por ser uma eleição muito difícil e me pediram para fazer parte da mesa”, disse.

Baiano, por sua vez, disse que trabalha para uma eleição em unidade e deixou transparecer que a ideia é chegar na última sessão como único nome. “Humildemente, mantemos diálogo até exaustão. Estamos caminhando para esse fim [chapa única], mas há vários vereadores para que haja esse acerto. Estamos caminhando para a unidade”, afirmou.

NOVAS VIAS

Outra conversa de corredores aponta para a formação de outro grupo na concorrência da Casa, sem o nome de Juliano Modesto. Uma das entusiastas desse posicionamento é a vereadora Michele Bretas (Avante), que afirma não se sentir representada por Baiano. Na última semana, houve conversas com alguns outros legisladores para a formação de uma terceira via. “Eu acredito que a Casa teria que ter nova opção. Essa chapa [Baiano] não me representa e me fere pessoalmente porque não tem uma mulher sequer. Eles alegam ter convidado a todas as vereadoras, mas eu pessoalmente não fui convidada. No caso de outra chapa, meu presidente também não seria o Juliano Modesto. Eu falei isso a ele, já que ele foi ordenador de despesas da Casa e tem que dar lugar à renovação”, disse.

Roger Dantas disse que seu nome chegou a ser cotado, entretanto ele já havia conversado com o grupo que apoia a chapa já formada e declinou o convite. “Vamos apresentar ideias de mudança para a Casa e foi conversado bastante. Acredito em mudança, mas a experiência dele [Baiano] vai ajudar”, afirmou. Dantas também ressaltou que nem chegou a discutir uma composição de mesa para concorrer como presidente.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »