12/09/2018 às 15h41min - Atualizada em 12/09/2018 às 15h41min

Nível de reservatórios cai e provoca alerta

Apesar da situação, houve redução no consumo em agosto e início de setembro

VINÍCIUS LEMOS
Cachoeira de Sucupira | Foto: Dmae/Divulgação
Os níveis dos reservatórios de Bom Jardim e Sucupira apresentaram queda nos dois últimos dias, o que fez com que o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) entrasse em alerta amarelo, ou seja, em estado de atenção em relação ao consumo de água em Uberlândia. Segundo a autarquia, a situação se deve justamente à baixa vazão no rio Uberabinha e no ribeirão Bom Jardim.

Ambos os reservatórios operaram nos últimos dois dias abaixo dos 3 metros, o que é ideal. Apesar da situação, o consumo per capita apresentou redução em todo o mês de agosto no comparativo com o mês de julho e em setembro o consumo foi menor nos dez primeiros dias na comparação com igual período de 2017.

Desde o início da semana, o reservatório de Bom Jardim caiu de 3,10 metros para 2,95 metros. Enquanto em Sucupira a queda levou o nível para 2,75 metros. Com isso, a captação de água e tratamento foi reduzida de 1,3 mil m3/s para 1,1 mil m3/s, no caso do Bom Jardim, e para 1 mil m3/s em Sucupira. O objetivo é conter a baixa nos reservatórios, mas o Dmae informou que não se trata de uma ação de racionamento.

Paralelamente, o departamento divulgou dados que mostram redução de consumo na ordem de 15 litros a menos por pessoa diariamente no último mês. Em média, Uberlândia registrou consumo pessoal de 237 litros em agosto, enquanto no mês anterior foi de 252 litros por dia para cada morador do Município. O volume também foi menor em relação a agosto de 2017, cujo registro foi de 250 litros por dia. Entre os dias 1º e 10 de setembro, houve ainda uma redução 4% no consumo per capita.

Dessa maneira, a supervisora de Programas de Educação Ambiental do Dmae, Ana Paula Carvalho, explicou que a autarquia vai avaliar por até cinco dias e acompanhar se haverá novas baixas dos níveis dos reservatórios no Município. A partir daí uma comissão poderá ser acionada para tentar descobrir os motivos das possíveis quedas. Hipóteses foram levantadas, mas nada conclusivo, como excesso de captação para irrigação ou redução das reservas em lençóis freáticos que abastecem as represas.

Por enquanto, a situação é tomada como um fenômeno natural, mas preocupante. Por isso, a autarquia reforça o pedido para que a população continue a economizar água. “Como a próprio população pode sofrer diretamente com a falta de água, a gente pede a colaboração das pessoas, que mantenham o consumo controlado”, afirmou Ana Paula Carvalho.

Chuva

Ainda que haja previsão de chuva para o fim de semana em Uberlândia, a supervisora de Programas de Educação Ambiental do Dmae explicou que é preciso um período maior para que a água infiltre, abasteça os lençóis freáticos, cursos d’água e as represas de Uberlândia. “Chover um ou dois dias não adianta”, disse.

Em agosto choveu 12 milímetros ao todo, de acordo com o Laboratório de Climatologia da Universidade Federal de Uberlândia. As previsões de chuvas de maior volume para Uberlândia são para a segunda quinzena de outubro, também segundo o laboratório.

Consumo de água em Uberlândia
 
  2017 2018
  Total consumido (m³) Média consumo per capita (litros) Total consumido (m³) Média consumo per capita (litros)
Julho 4.913.759,39 241,22 5.307.708,69 252,16
Agosto 5.276.711,09 250,68 5.004.261,11 237,74

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »