15/05/2018 às 14h10min - Atualizada em 15/05/2018 às 14h10min

Regularização da rede elétrica do Glória é autorizada

Previsão é que as obras comecem em setembro deste ano; Fernando Pimentel participou do ato em Uberlândia

​VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER

Fernando Pimentel e lideranças políticas durante evento no Glória, em Uberlândia | Foto: Vinícius Lemos
 
Com poucas palavras à imprensa local durante visita oficial a Uberlândia, na manhã desta terça-feira (15), o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, participou do ato de autorização da regularização das instalações de energia elétrica na ocupação do Glória, na zona sul de Uberlândia.

Depois, ele esteve na empresa Alsol, onde participou da inauguração de uma usina fotovoltaica no Distrito Industrial, zona norte da cidade. No segundo evento, o presidente do Conselho de Administração do Grupo Algar, Luiz Alberto Garcia, cobrou maior atenção para Uberlândia e para o Triângulo Mineiro do Executivo mineiro.

No Glória, a previsão é que a execução de readequação da rede elétrica comece ainda em maio, quando serão feitos levantamentos de campo. As obras em si estão previstas para setembro, quando começarão instalações de iluminação nas ruas, padrões e cabeamentos.

O projeto é uma parceria entre Cemig e Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab), que pretende ainda substituir 10% das geladeiras das famílias que hoje habitam o Glória, trocar lâmpadas atuais por iluminação de LED, além da troca dos chuveiros para residências com mais de cinco moradores.

Essas substituições fazem parte de ações da Cemig em busca de eficiência energética. O investimento ficará perto de R$ 20 milhões.

Como as ligações de energia na ocupação hoje são irregulares, com a eletrificação via Cemig, a companhia mineira tem a expectativa de receber entre R$ 40 e R$ 58 por residência, com o consumo de até 200 kw/h por cada casa. Esse valor inclui tarifa social e descontos de 50% extras.

A estimativa é que o fornecimento de energia ao novo bairro renda à Cemig entre R$ 92 mil e R$ 130 mensalmente em contas pagas. “O projeto traz cidadania paras as pessoas. Dá uma segurança maior para uma população sendo atendida. Com a rede elétrica instalada e o fornecimento organizado a Cemig passa a faturar, mas por tarifa social, e se a Cemig faz investimentos, ela tem que ser remunerada”, disse o presidente da companhia, Bernardo Alaverenga.

A representante dos moradores do Glória, Mineia Nunes, disse em discurso durante o evento de lançamento da eletrificação do local que a situação vai se regularizar devido à insistência e luta da população da ocupação.

“Graças à nossa união, nossa insistência e nossa dedicação, estamos hoje recebendo inúmeras atualizações”, afirmou.

O governador Pimentel disse, em rápida entrevista, que a regularização do Glória é importante e que isso se deve a um trabalho junto à Universidade Federal de Uberlândia. “Começamos, de fato, a cadastrar e regularizar as pessoas, que terão titularização, e vamos poder urbanizar”, afirmou.

RUAS

Em seu discurso durante a assinatura da ordem de serviço para eletrificação no Glória, na manhã de hoje (15), o governador ainda anunciou que o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER) mineiro fará melhorias nas ruas do bairro com a passagem de máquinas. A ação também está prevista para acontecer ainda neste mês de maio.

PUXÃO DE ORELHA

Ao quebrar o protocolo na inauguração da usina fotovoltaica no Distrito Industrial, o presidente do Conselho de Administração do Grupo Algar, Luiz Alberto Garcia, abriu espaço para um discurso não previsto de Pimentel, mas antes pediu mais atenção e presença do governador em Uberlândia.

Garcia afirmou que como Uberlândia já teve um governador, fazendo referência a Rondon Pacheco, era fácil encontrar no município alguém que estava à frente do Estado. Em entrevista, ele completou afirmando que o Triângulo é muito “apartado de Belo Horizonte”. “Você tira o Triângulo Mineiro de Minas para ver o que acontece. Somos bastante importantes para o contexto de Minas como um todo e nem sempre nós somos vistos dessa forma. Precisamos fazer valer a nossa força. Estou igual elefante do circo amarrado com uma cordinha no pé”, afirmou.

Em resposta, Pimentel reconheceu que está distante de Uberlândia, mas que não do Triângulo. “Eu vou muito em cidades menores. Estava ontem em Canápolis, em Frutal e percorri cidades aqui no Triângulo. Mas às vezes, de fato, ele (Luiz Alberto Garcia) tem razão, fico ausente da principal da região que é Uberlândia, mas ao Triângulo tenho vindo muito”, disse o governador.

REGULARIZAÇÃO GLÓRIA

Em dezembro do ano passado foi assinado o termo de compromisso para transferência e que fará o direcionamento para a regularização fundiária da ocupação do campus Glória, na zona sul de Uberlândia.

Entre as assinaturas, estava a do Município, que será o responsável por analisar os projetos que a Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab-MG) irá desenvolver para a área. Com isso, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) agora pleiteia duas áreas para compensação da parte do campus cedida para a criação do bairro, que deve ser batizado como Elisson Pietro.

Uma medida provisória assinada pelo presidente Michel Temer no final de 2016 possibilita que União e suas autarquias e fundações transfiram a Estados e Municípios áreas públicas ocupadas por núcleos urbanos informais para fins de reurbanização. Essa legislação facilitou a negociação com a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) para que a área ocupada do Glória fosse regularizada.

A área foi invadida entre o final de 2011 e o início de 2012, quando famílias ligadas ao Movimento Sem Teto do Brasil (MSTB) começaram a chegar ao terreno de 65,9 hectares.

Atualmente, estima-se que mais de 2,4 mil famílias estão no local, muitas dividindo casas, o que geraria uma população de 15 mil pessoas.

Já houve dois pedidos de reintegração de posse expedidos pela Justiça Federal, os quais poderão ser extintos com a negociação com a Cohab-MG.

Notícias Relacionadas »
Comentários »