11/05/2018 às 05h14min - Atualizada em 11/05/2018 às 05h14min

Governo de MG atrasa 1ª parcela do pagamento dos servidores

O anúncio foi feito ontem por Fernando Pimentel; algumas categorias sinalizam paralisações e falam em greve

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
 
O que estava mau parece ter ficado pior. Desde fevereiro de 2016, o Governo de Minas atrasa salários e a parcela os pagamentos em até três vezes. Ontem, uma notícia deixou servidores do Estado em polvorosa: a escala de pagamento está adiada por conta da suspensão dos salários de pessoas que acumulam cargos irregulares. O anúncio foi feito na manhã de ontem (10) pelo governador Fernando Pimentel (PT), durante uma entrevista concedida à rádio Itatiaia.

Na terça-feira (07), o Diário de Uberlândia trouxe a informação que o Pimentel, havia se reunido com o presidente em exercício do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE), conselheiro Mauri Torres, no dia anterior, para pedir que o Governo do Estado tivesse acesso ao relatório elaborado pela corte, que identificou servidores suspeitos de acumularem cargos de forma ilícita. Há indícios de que aproximadamente 100 mil servidores estejam em situação irregular e de que o rombo possa chegar a R$ 6 bilhões por ano.

E é justamente a falta dessa relação de trabalhadores a justificativa do Palácio da Liberdade para o adiamento dos vencimentos. Segundo Pimentel, novas datas para o pagamento seriam definidas pela Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais (SEF-MG) e pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (SEPLAG) ontem, mas até o fechamento desta edição (às 22 horas) nenhuma decisão havia sido divulgada.

Ainda de acordo com o governador, a lista dos funcionários suspeitos de acumular cargos ilicitamente foi entregue pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) já na terça-feira (7) e os pagamentos dos servidores estaduais foram suspensos de imediato. “Essa folha que estava prevista para ser paga no dia 16 vai sofrer um pequeno adiamento, de dois ou três dias, para a gente começar a fazer a correção dessas irregularidades”, afirmou.

No trabalho do TCE, foram analisados mais de 2 milhões de vínculos registrados em 2.210 órgãos: mais de 2 mil com municípios, 88 do estado e 43 de consórcios intermunicipais. A malha eletrônica de fiscalização já encontrou 4.352 indícios de acumulações gravíssimas. Em um caso específico, um agente público mantinha 10 vínculos. Além disso, foram encontrados 184 casos de pessoas que já haviam falecido e seus benefícios ainda continuam sendo depositados.

PARALISAÇÃO

Segundo Marcela de Faria Moraes, delegada do Sindicato dos Profissionais em Enfermagem, Técnicos (Sindisaúde) em Uberlândia, hoje vai haver uma reunião do sindicato em Belo Horizonte para discutir um posicionamento. “Nós precisamos de uma posição, tem pessoas sem dinheiro para ir trabalhar. Provavelmente na segunda-feira já vai haver uma paralisação na Fundação Hemominas de Uberlândia, porque todas as unidades estão pedindo a greve”, disse. 

A assistente administrativa da Fundação Hemominas Isabela Ferreira lembrou que esse atraso no salário acontece há dois anos. “Todos os meses os funcionários ficam apreensivos, os salários estão sendo divididos em até três vezes. Acredito que a maioria dos funcionários da saúde vão parar na próxima semana.”

A redação do Diário de Uberlândia entrou em contato com a SEF-MG, mas a secretaria informou que não irá se pronunciar até que seja decidida uma nova data para o pagamento dos salários.

Critérios adotados* no escalonamento antes da suspensão da folha

- servidores com salário até R$ 3 mil líquidos (75% do funcionalismo) recebem integralmente;
- servidores com salário até R$ 6 mil líquidos (17% do funcionalismo) recebem uma primeira parcela de R$ 3 mil e o restante na segunda parcela;
- servidores com salário acima de R$ 6 mil líquidos (8% do funcionalismo) recebem uma primeira parcela de R$ 3 mil, uma segunda parcela de R$ 3 mil e o restante na terceira parcela.

*Desde fevereiro de 2016

Como estava previsto o pagamento para maio

1ª parcela – 16 de maio
2ª parcela – 26 de maio
3ª parcela – 30 de maio

Até o fechamento deste texto às 22h do dia 10/05/2018, o Governo de Minas não havia anunciado as novas datas.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »