10/05/2018 às 10h57min - Atualizada em 10/05/2018 às 10h57min

Funcionários da Faepu fazem nova paralisação por atraso de salários

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
 
Cerca de 150 funcionários da Fundação de Assistência, Estudo e Pesquisa de Uberlândia (Faepu) paralisaram as atividades no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) por conta de atrasos nos pagamentos de salários. Houve protesto na porta da unidade de saúde, que é referência no atendimento no norte do Triângulo Mineiro. Essa é a segunda vez que os funcionários cruzam os braços pelo mesmo motivo em menos de seis meses.

O movimento aconteceu no início da manhã e os funcionários, já na quarta-feira (9) foram chamados para a manifestação, que envolveu trabalhadores dos diversos setores, seja administrativo ou de saúde. Apenas médicos não aderiram ao movimento. Inicialmente não houve prejuízo nas atividades do HC-UFU. Os funcionários se reuniram com cartazes e faixas na porta do hospital escola e apontavam os problemas que levaram à paralisação.

De acordo com a assistente administrativa Luciana Santos Reis, há atrasos de quase 10 dias mensalmente desde fevereiro por parte da Faepu. que também aconteceu no fim de 2017, quando também foi protelado o pagamento do 13º salário, e a situação já havia feito os funcionários a se manifestarem. Os atrasos atingem a cerca de 1,3 mil trabalhadores. “De lá cá, só não houve atraso em janeiro. “Acostumamos a pagar contas com juros e mora, agora não como honrar nossos compromissos”, afirmou. A paralisação pode continuar caso não haja solução para os pagamentos, ainda informou o movimento.

Um comunicado interno do HC-UFU informava que os atrasos estão ligados a repasses que não haviam sido feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Esses valores de faturamento, cujo montante não foi informado, seriam do Fundo Nacional de Saúde (FNS) e referentes a fevereiro deste ano, sendo que a data de pagamento expirou em 10 de abril. O comunicado ainda afirma que o HC-UFU está em contato com o Ministério da Saúde para resolver a situação. Contudo, em contato com Brasília, a pasta informou ao Diário que não existem atrasos por parte do governo para este tipo de situação.

Ainda durante a manhã desta quinta-feira (10), a direção do HC-UFU convocou uma reunião de emergência com representantes dos manifestantes para uma possível solução ou apresentação de prazos para pagamentos. A reportagem tentou, mas não conseguiu contato com a direção da Faepu nos ramais apontados como sendo dos responsáveis.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »