05/05/2018 às 08h10min - Atualizada em 05/05/2018 às 08h10min

Níveis de água das hidrelétricas da região melhoram, mas tarifa sobe

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
Reservatório da usina de São Simão foi um dos poucos que apresentou queda no período | Foto: Divulgação/Cemig
  
Mesmo que três dos reservatórios das usinas da região do Triângulo Mineiro estejam com um nível mais alto do que no ano passado, os uberlandenses, assim como demais consumidores do sudeste, terão bandeira tarifária de energia elétrica amarela no mês de maio. O acréscimo na conta será de R$ 1 a cada 100 kWh.

De acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), no reservatório de Marimbondo, o nível subiu de 70,68% para 76,19%, enquanto o reservatório de Emborcação subiu de 22,11% para 34,16%, se comparado maio deste ano com igual período de 2017. Em Nova Ponte, o aumento foi de 23,30% para 30,45%. Na usina de Água Vermelha, por sua vez, o volume caiu de 79,78% para 78,38%, e em São Simão, de 84,71% para 54,59%.

De acordo com Wilson Akira Shimizu, engenheiro civil especialista em gestão de recursos hídricos, mesmo que neste ano tenha chovido mais do que no ano passado, as usinas do Triângulo ainda não conseguiram se reabastecer totalmente. “Isso acontece porque as hidrelétricas funcionam de maneira integrada, logo não é possível analisar os reservatórios separadamente”, afirma.

Ainda segundo Shimizu, reservatórios com níveis mais altos auxiliam na geração de energia dos outros, e o sistema não é prejudicado. “Pode ser que um opere por um período maior ao ano também.”

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a bandeira tarifária irá mudar neste mês por conta dos baixos volumes dos reservatórios das hidrelétricas do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. A bandeira estava verde, a mais baixa da escala, desde o começo do ano.

Valdemir de Azevedo, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), disse que estamos entrando em um período de pouca chuva, normal para o outono e o inverno. “Os índices de umidade estão baixos e não há previsão de chuva para a região do Triângulo. Elas só devem retornar em setembro”, afirmou.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »