17/04/2018 às 13h31min - Atualizada em 17/04/2018 às 13h31min

Área invadida no Shopping Park é desocupada

Mais de 40 casas foram derrubadas na manhã desta terça-feira (17)

​VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
A reintegração de posse no bairro Shopping Park começou por volta das 6h | Foto: Vinícius Lemos

Uma área invadida desde 2010 foi reintegrada na manhã desta terça-feira (17) no bairro Shopping Park, na zona sul de Uberlândia. No local, mais de 40 casas foram derrubadas por terem sido construídas em um trecho institucional da localidade, reservada para ser usada na construção de equipamentos municipais. Não houve conflito e quase 190 policiais militares acompanharam a ação. Parte do local invadido, contudo, não foi reintegrado, por se tratar de área de preservação ambiental pertencente a uma fazenda vizinha, cujo processo não se refere à sentença cumprida hoje.

A ação começou perto das 6h, quando a polícia fez um bloqueio na área conhecida como Nelson Mandela, cuja principal saída é a avenida Ministro Homero Santos. Homens do 17º Batalhão da Polícia Militar (BPM) e do Batalhão de Policiamento Especializado acompanharam o cumprimento do mandado de reintegração.

De acordo com a Polícia Militar (PM), em março foi dado o prazo final para que os moradores deixassem o local até nesta segunda-feira (16), antes que fosse preciso uma ação direta na região.

Algumas casas tinham energia elétrica ligada sem gatos e foi preciso esperar até que técnicos da Cemig fossem até o local para fazer o desligamento do fornecimento. Todas as casas eram de alvenaria.

Pás carregadeiras fizeram a derrubada e o entulho foi levado por caminhões da Prefeitura. Também foram disponibilizados veículos para fazer o transporte de pertences de famílias que tinham para onde levá-los. Não houve, contudo, disponibilização de espaços para acolhimento temporário das famílias despejadas.

“O processo nunca teve um diálogo. Está todo mundo sem destino”, disse Valdemir dos Santos Cardoso, um dos representantes dos moradores. Ele contou que mora no local desde que as primeiras famílias se instalaram na área.

A INVASÃO

O local, segundo os moradores, começou a ser ocupado ainda em 2010 pelas primeiras famílias e, aos poucos, ganhou mais moradores. Posteriormente, passou a ser chamado de Nelson Mandela.

Desde 2012, entretanto, foi determinado pela Justiça que o local deveria ser reintegrado ao Município.

Áreas verdes de preservação nas proximidades do local também foram ocupadas - e assim continuarão até que haja um novo pronunciamento judicial. Ainda na manhã desta terça-feira (17), alguns imóveis tiveram muros derrubados por estarem no trecho municipal, mas como as casas foram construídas recuadas no terreno, elas continuaram de pé.

DIFICULDADES

Morador precisa de energia elétrica para alimentação

Na casa de Ataíde de Jesus, de 76 anos, apenas o muro e um cômodo que foi construído à frente de seu terreno foram derrubados durante a reintegração de posse nesta terça-feira no Shopping Park.

Como hoje ele se alimenta apenas por sonda e fez uma traqueostomia, necessita diariamente da energia elétrica para sobreviver, seja para fazer sua alimentação, basicamente líquida ou pastosa, e para aspirar sua garganta.

Como o padrão da casa foi retirado e a energia cortada, o aposentado não terá como se manter no local.

“Viemos para cá há uns oito anos porque ele ficou doente e eu também. A gente morava no Maravilha [zona norte], de aluguel. Vou fazer uma sopa de fubá para ele comer, não tem como bater nada no liquidificador”, disse a esposa do idoso, Nelci de Jesus.

O casal Lúcia de Souza Oliveira e José Romualdo dos Santos, também moradores do local, trabalhava na retirada de janelas e outros pertences da casa que compraram há dois anos, mesmo sabendo que o local era uma invasão. Sem família em Uberlândia, originários da Bahia, eles disseram não ter para onde ir. “Tem um tanto casinha vazia aqui (Shopping Park), dando até mato, e não ganhamos nenhuma. Agora vou ter que dormir na rua”, disse Lúcia.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »