15/03/2018 às 05h50min - Atualizada em 15/03/2018 às 05h50min

Concurso para educação atrai 178 mil candidatos

São 16.700 vagas em disputa; categoria em greve, salários parcelados e constantes embates com o Governo não afastaram concorrentes

DA REDAÇÃO

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), realizará, no mês de abril, concurso público para o preenchimento de 16 mil vagas para o cargo de Professor de Educação Básica (PEB) de diversas disciplinas e 700 vagas para Especialista em Educação Básica (EEB). Para o certame, foram recebidas 178.489 inscrições válidas. Deste total, 47.109 são candidatos para o cargo de Especialista em Educação Básica e 131.380 para o cargo de Professor de Educação Básica (PEB).  A média de candidatos é 8,2 para Professor e de 67,29 para Especialista.

A previsão é que as provas sejam aplicadas no dia 8 de abril. Os candidatos ao cargo de Professor de Educação Básica deverão fazer os testes na parte da manhã e os candidatos ao cargo de Especialista em Educação Básica farão as provas à tarde. O número alto de concorrentes demonstra que a busca por uma vaga de trabalho e estabilidade do serviço público ainda motivam, mesmo diante uma situação adversa dos profissionais que já estão no quadro funcional.

Desde 2016 o governo tem escalonado os salários dos servidores em até três parcelas. O pagamento do 13º salário de 2017 também está sendo executado em quatro parcelas, de janeiro a abril. Os servidores da Educação ainda cobram o reajuste de 14,7% referentes a 2017 e 2018 para que a categoria receba o piso nacional.

Hoje à tarde, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-Ute) decide em nova assembleia geral, em Belo Horizonte, se a greve deflagrada no dia 8 de março terá seguimento.

O secretário de Estado de Educação em exercício, Wieland Silberschneider, fala da necessidade do certame para a rede estadual de ensino. “A realização do concurso tem pelo menos duas questões importantes. A primeira é que ele contribui para por fim à precarização do vínculo empregatício que sempre acompanhou o trabalho do professor, pela incapacidade da gestão pública de oferecer oportunidades de concurso para que esse profissional ingresse de forma estável na rede", observa o secretário em exercício.

O segundo ponto, segundo Wieland, "é que, uma vez concursado, o profissional deixa de, a cada ano, ter dúvida sobre a sua recontratação. Ele passa a estar plenamente inserido no dia a dia da sua escola e essa condição torna o ambiente escolar produtivo para a pactuação de ações com foco na qualidade da educação", aponta.
 
Para as vagas de Especialista, não há distinção de habilitações: os servidores poderão atuar como orientadores educacionais, supervisores ou coordenadores pedagógicos, desempenhando funções fundamentais na organização da escola e no aprimoramento dos processos de ensino. Já os cargos de Professor abrangem várias disciplinas como História, Geografia, Química, Física, entre outras, que compõem o currículo básico dos anos finais do Ensino Fundamental e de todo o Ensino Médio. Especificamente para esta carreira, as 16 mil vagas estão distribuídas entre 848 municípios mineiros, no universo de 852 municípios que contam com escolas estaduais.
 
ETAPAS
 
O concurso é dividido em duas etapas. A primeira consiste na aplicação das provas objetivas e a segunda na avaliação de títulos. As provas objetivas vão contar com 60 questões de Língua Portuguesa, Matemática, Conhecimentos didático-pedagógicos e conhecimentos específicos. Os candidatos terão como locais de provas todas as cidades-sede das Superintendências Regionais de Educação.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »