25/01/2018 às 18h14min - Atualizada em 25/01/2018 às 18h14min

Minas amplia Situação de Emergência em Saúde

DA REDAÇÃO

O Governo de Minas Gerais publicou hoje uma ementa ao decreto que declara Situação de Emergência em Saúde Pública Regional, ampliando a área de abrangência para as regionais de saúde de Barbacena e Juiz de Fora. O decreto tem vigência pelo período de 180 dias, em razão do registro de casos prováveis de febre amarela no Estado.

Com a publicação da ementa, mais 68 cidades foram adicionadas à Situação de Emergência, totalizando 162 municípios. O decreto tem o objetivo de facilitar e agilizar a adoção de medidas necessárias ao enfrentamento da doença. O Estado poderá adquirir insumos e materiais, bem como contratar por tempo determinado serviços estritamente necessários ao atendimento da situação emergencial, sem a necessidade de realizar licitação, para os municípios que integram a área de abrangência das Unidades Regionais de Saúde de Belo Horizonte, Itabira, Ponte Nova, Barbacena e Juiz de Fora.

“A ampliação do decreto para os municípios que integram as regionais de Barbacena e Juiz de Fora se justifica diante da ocorrência de casos da doença em humanos nessas regiões”, disse o subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde, Rodrigo Said.

Desde o início do 2º período de monitoramento da febre amarela, em julho passado, foram confirmados 47 casos em Minas Gerais. Destes, 25 evoluíram para óbito e outros 99 casos continuam em investigação.

Na Regional de Juiz de Fora foram confirmados casos nos municípios Goianá (um óbito), Mar de Espanha (um óbito) e Juiz de Fora (um caso). No município de Piranga, pertencente à Regional de Barbacena, foi confirmado um caso da doença.

As ações de prevenção e controle da Febre Amarela estão sendo desencadeadas nos municípios afetados e limítrofes, mesmo sem confirmação laboratorial.

Dentre as ações desenvolvidas, destacam-se a intensificação da vacinação de rotina, conforme o Calendário Básico de Vacinação, intensificação da vigilância de epizootias de primatas não humanos (morte de macacos), investigação entomológica (de insetos) e vigilância laboratorial das síndromes febris icterohemorrágicas (SFIHA).

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) reforça que a medida mais importante para prevenção e controle da febre amarela é a vacinação. Por este motivo, toda a população que reside ou que se desloque para regiões silvestres, rurais ou de mata de áreas com recomendação de vacina (ACRV), deve se imunizar no posto de saúde mais próximo de sua casa. 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »