22/01/2018 às 19h57min - Atualizada em 22/01/2018 às 19h57min

PM suspende poda de árvore no Centro

DA REDAÇÃO
Ambientalistas alegaram falta de laudo e presença de técnico / Foto: Divulgação

O que a princípio seria mais uma ação da Prefeitura de Uberlândia de poda de árvores na região Central da cidade durante o último fim de semana acabou se transformando em fato policial, com direito a registro em boletim de ocorrência. Um grupo de ambientalistas questionou a ausência de critérios técnicos para a realização das podas na avenida João Pinheiro e a Polícia Militar acabou sendo acionada durante a ação, que teve como pivô a Sibipiruna existente na junção da avenida com a praça Adolfo Fonseca.

A árvore que é uma das principais referências da região e está plantada no canteiro de frente ao bar que leva o mesmo nome, se tornou um patrimônio natural desde 1984, quando uma lei municipal a tornou imune a cortes.

Segundo um grupo de ambientalistas que acompanha as ações de corte e poda de árvores na cidade, denominado Damas Verdes, no momento da poda da Sibipiruna não havia nenhum supervisor técnico da área acompanhando a ação, bem com também não fora apresentado nenhum laudo técnico que justificasse a poda. “A Prefeitura diz que as podas são corretas e justificadas por laudos, mas na prática não há laudos. O que foi apresentado foi apenas um memorando pedindo a poda da árvore”, disse a geógrafa Betânia Côrtes. “Tentamos minimizar a ação com nossa presença”, completa.

Outras árvores da avenida João Pinheiro que ficam nas proximidades sofreram a poda. Já a Sibipiruna centenária teve a poda suspensa diante da intervenção policial.

A engenheira agrônoma Maria Alice Vieira disse que as podas foram muito drásticas. “As podas emergenciais e a retirada de galhos secos não têm época. Mas essas podas drásticas devem ser feitas no começo da primavera. Eliminaram muitos galhos”, avalia.

Por meio de nota, a Prefeitura informou que todas as intervenções em árvores são baseadas em laudos elaborados por uma equipe multidisciplinar composta por profissionais como engenheiros agrônomos. Em relação às árvores da avenida João Pinheiro, este estudo foi realizado e formalizado em um parecer no dia 17 deste mês. Ainda segundo a Prefeitura, durante a execução, esta documentação esteve de posse dos servidores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico.

Os ambientalistas que estiveram na avenida no último sábado disseram, no entanto, que não havia um especialista da área acompanhando a poda e sim, um advogado e um assessor administrativo da Secretaria.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »