28/12/2017 às 17h10min - Atualizada em 28/12/2017 às 17h10min

Uberlândia terá novo programa de moradia

Serão contempladas famílias com renda acima de R$ 1,8 mil até 6 salários

WALACE TORRES | EDITOR
Luís Carlos Alves disse que programa tem parceria da Prefeitura e do Sinduscom / Foto: Valter de Paula/Secom/PMU

 

A Caixa Econômica Federal irá lançar no próximo ano em Uberlândia um novo programa de moradia social que irá atender famílias com renda entre R$ 1,8 mil até seis salários mínimos. O programa está em fase final de elaboração e deverá ser apresentado no início de 2018. Segundo adiantou o superintendente regional da Caixa, Luís Carlos Alves, em solenidade na Prefeitura na última quarta-feira (27), o novo programa terá a participação do Município, que entrará com a seleção das famílias e ainda com subsídios, e também do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-TAP).

No último mês, a Prefeitura enviou à Câmara Municipal projetos de lei que vão viabilizar reduções de custo para a produção de moradia social em Uberlândia voltadas para famílias de baixa renda. “A gente vai conseguir com essa participação da Prefeitura trazer para a cidade o Minha Casa, Minha Vida na faixa 1,5, dando um diferencial bastante importante e reduzindo o custo de prestação daquelas famílias que forem atendidas via novo programa municipal de moradia de Uberlândia”, disse Luís Carlos Alves.

De acordo com o superintendente regional, os imóveis deverão ter um valor final em torno de R$ 120 mil, sendo que a participação do Município irá permitir uma redução entre 10% a 12% do preço às famílias contempladas. Por enquanto ainda não há definição de quantidade de imóveis que serão construídos, mas a proposta é que seja uma produção em grande escala.

“A ideia é voltar a produzir habitação de maneira mais maciça em Uberlândia, preocupado tanto com a questão de assegurar a moradia pra quem precisa, mas principalmente garantir a geração de emprego e renda na cidade”, completou.

A definição das famílias que serão contempladas irá priorizar a relação já existente na Prefeitura. “Essa foi a primeira exigência do prefeito Odelmo Leão quando a gente iniciou as conversas no mês de outubro”, diz o superintendente.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação irá fazer a checagem das famílias inscritas e a atualização de todo o cadastro. As famílias, no entanto, terão que se enquadrar aos novos critérios do programa.

 

ORÇAMENTO BILIONÁRIO

Para 2018, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) irá destinar um orçamento de R$ 85 bilhões à Caixa Econômica Federal, dos quais cerca de R$ 65 bilhões serão para investimentos em habitação e o restante para saneamento, mobilidade e infraestrutura, segundo declarou no início de dezembro o presidente da instituição, Gilberto Occhi.

A Superintendência Regional espera conhecer no início do ano qual será a parcela desse montante a ser destinada ao Triângulo e Alto Paranaíba para fechar os números do novo programa habitacional.

De acordo com a Caixa, desde o início do Minha Casa, Minha Vida, em 2009, o programa já beneficiou 14,4 milhões de pessoas com a entrega de mais de 3,6 milhões de moradias no país.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »