19/12/2017 às 18h23min - Atualizada em 19/12/2017 às 18h23min

Prefeito de BH nega reajuste de tarifas

DA REDAÇÃO
Alexandre Kalil condiciona reajuste à abertura de “caixa preta” da BHTrans / Foto: Amira Hissa/PBH

 

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, anunciou hoje que não haverá aumento nos valores das tarifas do transporte coletivo na capital até que seja feita uma auditoria nas contas das empresas de transporte e da BHTrans. O anúncio foi feito após reunião do prefeito com representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), o presidente da BHTrans, Célio Bouzada e o Procurador-Geral do Município, Tomaz de Aquino Resende.

As empresas de ônibus apresentaram à prefeitura uma proposta de reajuste de 10,55% para 2018. O pedido tem como argumento o aumento no preço do diesel, o custo da mão de obra dos trabalhadores e a queda de 4,5% no número de passageiros que usam o transporte público na capital mineira.

Apesar das justificativas, o prefeito manteve sua posição de não conceder aumento enquanto não tiver acesso às informações sobre os custos das empresas. “Estamos aqui trabalhando sério. Belo Horizonte transporta 30 milhões de passageiros por mês. Esse não é um assunto para demagogia. É um assunto que precisa ser tratado com seriedade. Sem uma auditoria, o reajuste é zero”, disse Kalil. “O prefeito não vai decretar aumento nenhum. O reajuste é zero porque a auditoria na BHTrans foi impedida de ser feita pela Justiça. De acordo com o que foi prometido, não tem reajuste enquanto não se abrir a ‘caixa-preta’ da BHTrans”, declarou o prefeito.

Atualmente, a tarifa na capital mineira é de R$ 4,05 para as linhas perimetrais, semi-expressas e do MOVE (sistema equivalente ao transporte integrado) e de R$ 2,85 para as linhas circulares.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »