28/11/2017 às 05h05min - Atualizada em 28/11/2017 às 05h05min

MG adere a medida que facilita comércio exterior

DA REDAÇÃO

Minas Gerais é o primeiro estado do país a reconhecer e aderir ao Programa Brasileiro de Operador Econômico Autorizado (OEA), da Receita Federal.  As medidas visam estimular o desembaraço aduaneiro no estado, dispensando o visto no documento de liberação para empresas que fazem operações com 100 Declarações de Importação (DI) por ano ou que sejam certificadas como OEA.

Os OEAs certificados pela Aduana Brasileira seguem padrões internacionais de compliance e segurança. Em Minas Gerais, eles passam agora a ter um tratamento diferenciado, de maior confiabilidade, previsibilidade e parceria, passando a ser dispensados do visto na sua guia de ICMS/Importação (GLME). Com isso, a expectativa é de manter os investimentos já realizados e atrair novas empresas para o estado.

O desembaraço aduaneiro em Minas Gerais é realizado em cinco portos secos, localizados em Juiz de Fora, Varginha, Uberlândia, Uberaba e Betim (que também é um Centro Logístico e Industrial Aduaneiro) - e no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins.

 

OEA

O Programa OEA consiste na certificação, pela Receita Federal, de diversos intervenientes da cadeia logística que representam baixo grau de risco em suas operações de comércio exterior, tanto em termos de segurança física da carga quanto em relação ao cumprimento de suas obrigações aduaneiras.

É um novo modelo de trabalho composto de um módulo de certificação principal, do qual fazem parte as modalidades do Programa OEA estabelecidas pela Receita Federal e já operando segundo os padrões internacionais estabelecidos pela Organização Mundial de Aduanas (OMA), e de módulos complementares que serão específicos de cada órgão ou entidade pública participante.

O Sistema OEA facilita os registros da análise da certificação pelos envolvidos e provêm recursos para comunicação direta com os operadores. Todos os registros fazem parte da documentação relativa ao pedido da certificação bem como o acompanhamento após a certificação emitida.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »