17/10/2017 às 05h11min - Atualizada em 17/10/2017 às 05h11min

Fornecimento de energia a Capim Branco é definido

Dmae e Cemig acertaram redução no prazo de entrega de subestação

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
O Sistema Capim Branco deve entrar em operação em novembro de 2019 / Foto: Comunicação\Dmae

 

O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) chegaram a um acordo sobre a fonte de energia elétrica para o Sistema de Captação e Tratamento de Água Capim Branco, com previsão de redução de prazo para 25 meses para construção da estação. Será disponibilizada uma fonte alternativa de energia para que a obra de abastecimento seja entregue em tempo hábil. O contrato deve ser assinado ainda nesta semana.

A proposta anterior era de construção de rede e subestação de fornecimento de energia para alimentar o sistema com previsão de término para junho de 2020. O Sistema de Capim Branco está previsto para ser entregue em janeiro de 2019. Contudo, o diretor do Dmae, Sérgio Attiê, contou que durante uma reunião com a presidência da Cemig, no último dia 4, a empresa de energia ofereceu uma rede alternativa para que os equipamentos da estação sejam testados enquanto são instalados. “Eu preciso ligar as bombas, então preciso da energia pelo menos para testar. Quando eu tiver o plano final eu ligo as quatro bombas. Assim será terminada a obra de Capim Branco já com todos os testes feitos. Se tivesse que esperar a entrega da subestação, ainda demoraria meses nos testes”, disse o diretor.

Attiê ainda espera ganhar quatro meses no projeto elétrico, que antes era previsto para durar 29 meses. Segundo ele, o que vai ser feito é dividir a execução da subestação em etapas e ganhar tempo em cada uma delas. De qualquer forma, apenas após a entrega dessa obra é que o Sistema Capim Branco entrará em funcionamento. Se levar em consideração as contas feitas pelo Dmae, isso vai acontecer em novembro de 2019. O custo foi mantido e ficará perto de R$ 10,2 milhões.

O contrato original teria ficado parado com o Dmae entre setembro de 2015 até dezembro de 2016. O segundo orçamento foi pedido em janeiro deste ano, com um novo contrato enviado em março, o qual foi rejeitado pela diretoria por conta dos prazos de execução. A Cemig explicou anteriormente que as datas se devem à complexidade da obra, uma vez que “envolve modificações em estruturas de alta tensão, construção de linhas de transmissão de alta tensão e construção de subestação de integração, entre outras ações”.

 

OBRAS

As obras do Sistema de Captação e Tratamento de Água Capim Branco seguem com pouco mais de 38% do projeto executado. Esta é a primeira de três etapas e vai contemplar a instalação de adutoras, a construção da Estação de Tratamento de Água e a captação na represa da usina que dá nome ao sistema, instalada no Rio Araguari. Foram gastos cerca de R$ 50 milhões de um orçamento que chega a R$ 280 milhões para essa primeira etapa, o que já incluiu um aditamento. Interligada às estações já existentes, Sucupira e Bom Jardim, o sistema garantirá abastecimento a 1,5 milhão de pessoas, como informado pelo Dmae.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »