20/09/2017 às 18h40min - Atualizada em 20/09/2017 às 18h40min

Funcionários dos Correios aderem à greve nacional

Segundo sindicato, 20% do efetivo já está paralisado em toda região

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Segundo Correios, cerca de 93% dos funcionários trabalharam normalmente hoje / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Funcionários dos Correios do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba aderiram à greve nacional iniciada hoje, sem previsão de término. A classe reivindica novas contratações, melhorias no plano de saúde, além de reajuste salarial com base na inflação. A greve já se arrasta por 20 estados mais o Distrito Federal.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores nos Correios e Telégrafos de Uberaba e Região (Sintect-URA), que representa 156 cidades do Triângulo Mineiro, o número de adesão à greve ainda será contabilizado na noite de hoje. “Acreditamos que cerca de 20% de funcionários já aderiram à causa, o que deve aumentar na medida em que o tempo de greve também aumente”, disse o presidente Sintect-URA, Wolnei Cápolli. São 1,8 mil funcionários nas 156 cidades.

Ainda segundo ele, mesmo com a paralisação, não houve alteração nos serviços. “Estamos respeitando o que foi nos pedido na última greve, que foi manter um mínimo de 50% dos funcionários na ativa, mas, caso a negociação não prossiga, poderemos abaixar esse número para 30%”, afirmou Cápolli.

Sobre as negociações, até o momento, foram feitas três reuniões com os Correios, mas não houve avanço. “Nesses encontros, apresentaram a intenção de retirar 23 cláusulas conseguidas por meios de acordos coletivos. Isso, porque ainda não entramos nas negociações econômicas. Se quiserem mexer no bolso do funcionário, a adesão à greve será maior ainda”, ressaltou Cápolli.

Além dos pontos citados acima, Cápolli afirma que é necessário que haja uma atualização nos equipamentos de trabalhos. “Nossos equipamentos estão sucateados. Precisamos garantir condições mínimas de trabalho para a classe”, disse Cápolli.

Ainda não há previsão de atos de protesto da classe.

 

NOTA CORREIOS

Os Correios se posicionaram sobre a paralisação de seus funcionários por meio de nota. O texto segue abaixo, na íntegra:

A paralisação parcial, iniciada nesta quarta-feira (20) por alguns sindicatos da categoria, não afeta os serviços de atendimento dos Correios. Até o momento, todas as agências, inclusive nas regiões que aderiram ao movimento, estão abertas e todos os serviços estão disponíveis.

Nesses locais, a empresa já colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Os Correios informam que o movimento está concentrado na área de distribuição — levantamento parcial realizado na manhã de hoje [ontem] mostra que 93,17% do efetivo total dos Correios no Brasil estão presentes e trabalhando — o que corresponde a 101.161 empregados, número apurado por meio de sistema eletrônico de presença.

As negociações com os sindicatos que não aderiram à paralisação ainda estão sendo realizadas nesta semana. Os Correios continuam dispostos a negociar e dialogar com as representações dos trabalhadores na busca de soluções que o momento exige e considera a greve um ato precipitado, que desqualifica o processo de negociação e prejudica todo o esforço realizado durante este ano para retomar a qualidade e os resultados financeiros da empresa.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »