04/09/2017 às 08h45min - Atualizada em 04/09/2017 às 08h45min

Uberlandense viaja de 1ª classe e ensina como

Fábio Vilela relata suas experiências e dá dicas de economia em site

LAURA FERNANDES | APRIMORAMENTO PROFISSIONAL
Fábio Vilela mantém o site Passageiro de Primeira Classe há 6 anos / Foto: Arquivo Pessoal

 

Com a internet, se informar, comunicar e conhecer lugares novos vem se tornando uma tarefa prática. Basta um clique para que se tenha tudo ao alcance. Essa praticidade guiou o uberlandense Fábio Vilela, em 2011, quando criou seu site Passageiro de Primeira e passou a compartilhar experiências em seus voos, dando dicas de economia e conforto nas viagens aéreas, especialmente na primeira classe e na classe executiva. Hoje, além do site nacionalmente reconhecido, Fábio está com o projeto em quatro redes sociais: Facebook, Instagram, Snapchat e Twitter. Dentre elas, o Facebook é a com maior visibilidade – são mais de 200 mil seguidores. 

Fábio explica que seu trabalho é desmistificar as viagens de primeira classe e executiva. “A grande função do site hoje é provar, através de cálculos, que voar em uma cabine superior pode ser sim mais barato do que viajar lá no fundo do avião”, afirma. E para comprovar essa realidade ele visita os serviços prestados e oferecidos pelas companhias aéreas. Por ano, são em média 80 viagens.

A história com viagens e a relação com a internet, na vida de Fábio, tem longa data. Desde pequeno ele já tinha interesse em aviação. “O meu grande prazer era (e ainda é) ficar na internet pesquisando por horas e horas sobre as cabines dos aviões, o que servem a bordo, como são as poltronas, serviços oferecidos”, conta ele.

Ao longo dos anos, o desejo, que já era grande, ficou mais aguçado. Fábio hoje é formado em “Tourism and Hospitaly Management” e continua residindo em Uberlândia. Ele lembra que o interesse em seguir sua carreira na área de aviação surgiu na sua graduação. “Despertou mais ainda meu prazer por este universo quando tivemos um seminário de como gerir uma companhia aérea e fazê-la ser rentável.”

Já graduado, Fábio decidiu unir seu desejo de conhecer mais sobre as linhas aéreas e a necessidade que tinha naquele momento, trazer um site que abordasse o assunto nessa categoria, que até então não existia. Ele montou o site e começou a escrever relatos de suas viagens aéreas, pois acreditava que, assim como ele, outras pessoas também tinham interesse neste tipo de orientação. “Resolvi começar a escrever pois imaginei que não seria o único ‘maluco’ que estava procurando este tipo de informação, que no caso é bem específica”, afirmou.

Os relatos e as viagens aconteceram gradualmente. À medida que os voos iniciaram, ele foi aos poucos divulgando suas experiências. Ele concretizou seu desejo produzindo textos para o site, relatando a qualidade dos serviços e produtos disponibilizados nos voos. Até então, Fábio não tinha contato com esse tipo de escrita e com a relação direta com o público.  “Foi por influência deles [os leitores], que sempre me pediam novos relatos e novas cabines, que fui encontrando meios de voar cada vez mais e mais”, explica. A interação é constante, afirma ele. “Os leitores mandam conselhos, dão dicas, me ajudam – é uma troca muito saudável.”

 

CUSTOS

Popularidade do site viabiliza viagens

Viajar de na primeira classe e na classe executiva não custa pouco. No início do seu projeto, Fábio Vilela precisou definir estratégias para viabilizar as suas viagens e as avaliações para alimentar o site. Foi aí que surgiu a ideia de falar e analisar os programas de fidelidade. Este foi o ápice de audiência do Passageiro de Primeira. Ter informações de como é possível fazer viagens confortáveis por um preço acessível só aumentou o número de seguidores. 

Para chegar a essa informação, Fábio conta que fez e continua fazendo muitas pesquisas de valores mais acessíveis e promoções, o que hoje o auxilia a se manter. “Muito do que eu aprendi foi sozinho, passando horas lendo e me inteirando das regras dos programas, pois só assim consigo manter o estilo de vida que levo”, explica. 

Desde suas primeiras viagens, Fábio utiliza milhas para custear suas passagens. Sem patrocínio, o que o mantém ativo são as movimentações em suas redes sociais. “Hoje um site com boa visibilidade na internet tem inúmeras formas de ser rentável, a tecnologia nos ajuda muito a monetizar acessos, cliques e anúncios”, afirma.

Por não ter vínculo de patrocínio com as companhias aéreas, Fábio relata que a sinceridade em seus relatos é mais fluída. “O que eu posto é realmente o que aconteceu durante a viagem – com falhas, erros e acertos”. 

Em seus textos, Fábio busca sempre manter proximidade com seu público. “Virou uma grande comunidade de amigos sem formalidades”, conta.

Fábio afirma que ser passageiro de primeira tem como grande êxito proporcionar inúmeras oportunidades para pessoas que pensavam que viajar de primeira classe era algo impossível e distante. “O PassageirodePrimeira.com democratizou as viagens ‘premium’ no nosso país, e sou muito grato e honrado de poder carregar esta vitória nacional como mérito do meu trabalho”, reforça o uberlandense.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »