22/08/2017 às 05h10min - Atualizada em 22/08/2017 às 05h10min

Morre aos 54 anos o ex-deputado João Bittar

DA REDAÇÃO
João Bittar foi vereador, deputado estadual e federal por Uberlândia / Foto: Gilberto Nascimento/Arquivo Câmara

 

O corpo do ex-deputado federal João Bittar Júnior foi cremado no fim da tarde de ontem em cerimônia reservada à família, no crematório do cemitério Parque dos Buritis, em Uberlândia. Bittar morreu no domingo, aos 54 anos, após ser internado no fim de semana no hospital Uberlândia Medical Center com quadro de pneumonia. Segundo informações de familiares, ele lutava contra um câncer há cerca de um ano.

João Bittar Júnior era natural de Ituiutaba, onde morou até o primeiro ano do ensino médio. Em 1978, mudou-se com a família para Uberlândia e concluiu o segundo grau. Chegou a ingressar no curso de Engenharia Civil da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), que frequentou apenas durante o primeiro ano.

Teve atuação marcante como empresário e voluntário na área social e filantrópica. Foi fundador da ONG Rede de Lares Solidários (LAR), criada em 1983 e que atendia crianças, jovens e idosos. O projeto chegou a ter 22 unidades de atendimento social em 12 cidades mineiras, com capacidade para atender 180 mil pessoas de baixa renda. Também fundou e chegou a presidir o Conselho Municipal do Idoso, no início da década de 1990.

O trabalho social no LAR lhe rendeu por duas vezes o Prêmio Bem Eficiente, em 2002 e 2005, outorgado pela Kanitz e Associados às 50 melhores Instituições do Brasil. Também recebeu  duas das principais homenagens concedidas pela Câmara Municipal de Uberlândia: a Medalha Augusto César e a Comenda Virgílio Galassi.

Na esfera política, teve atuação predominante no Legislativo, chegando a assumir vagas nas três instâncias. Na Câmara Municipal de Uberlândia ocupou a vereança em três mandatos: 1993 a 1996; 1997 a 2000 e 2001 a 2003. Em fevereiro de 2003, assumiu o cargo de deputado estadual depois de alcançar mais de 54 mil votos.

Em 2004, concorreu à Prefeitura de Uberlândia e chegou ao segundo turno obtendo 46% dos votos válidos, perdendo para Odelmo Leão. Em 2006, foi eleito deputado federal com mais de 100 mil votos. Nas eleições de outubro de 2008 foi novamente candidato à Prefeitura Uberlândia, mas não foi eleito. Ao tentar a reeleição na Câmara dos Deputados, em 2010, ficou na suplência, mas logo no início da legislatura, em 2011, foi chamado para ocupar a vaga em função de composições no governo estadual e acabou se efetivando no cargo a partir de 2014. No mesmo ano, tentou um novo mandato e não conseguiu se reeleger, abandonando em definitivo a sua carreira política a partir de janeiro de 2015.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »