13/08/2017 às 05h17min - Atualizada em 13/08/2017 às 05h17min

Uma pausa para a alegria

Grupo de voluntários traz para Uberlândia projeto que visita pessoas que precisam de atenção e carinho

WALACE TORRES | EDITOR
Grupo Alegria nasceu em Goiás, onde tem quatro turmas, e agora chega a Minas com a primeira turma em Uberlândia / Foto: Divulgação

 

Se você pudesse escolher qualquer coisa, o que pediria? E se pudesse ir a um lugar qualquer, qual escolheria? Agora inverta a situação. Se tivesse que doar, o que seria? E aonde? Imagine então que essa doação é o seu tempo, sua paciência, seu afeto, dedicados a uma instituição que cuida de pessoas em situação vulnerável, como um asilo, um hospital, um abrigo. Agora vem a parte mais difícil: essa tarefa lhe será dada no dia que você mais gosta de aproveitar para descansar, ou seja, o domingo.

Numa época em que a tecnologia distancia cada vez mais as pessoas ao seu redor e aproximam aquelas que estão distantes, porém conectadas, um grupo de voluntários se aproveita dos canais digitais para trazer para o mundo real aquilo que há de mais simples e nobre numa relação humana. Foi por meio das redes sociais que a jornalista Camila Kalil e a relações públicas Laura Domingos Barra encontraram uma turma disposta à lhes acompanhar numa missão solidária: levar carinho, amor e alegria às pessoas que hoje se encontram acamadas, isoladas do mundo ou da família, ou simplesmente precisando de um pouco de atenção.

A partir de mensagens enviadas para vários grupos de redes sociais na última semana, as duas amigas divulgaram seu projeto à espera de algum retorno. Em três dias, 25 voluntários se inscreveram. Assim nasceu o Grupo Alegria em Uberlândia, um projeto que tem como proposta visitar lugares onde estão pessoas que estão à espera de um abraço, um gesto solidário.

O Grupo Alegria existe há três anos com turmas formadas em quatro cidades de Goiás. Camila Kalil morava em Catalão, onde participou durante um ano das visitas em hospitais, asilos e instituições que cuidam de crianças e idosos. Ao mudar-se para Uberlândia para concluir a faculdade, acabou fixando residência e percebeu que havia uma carência de ações afetivas, que fizessem bem ao outro.

Sempre que tinha oportunidade de retornar à cidade natal, ela acompanhava as visitas com a antiga turma. Numa dessas viagens, levou a amiga Laura para conhecer o projeto e participar de um treinamento. Daí, surgiu a ideia de trazer o projeto para Uberlândia, que está em processo de formação da primeira turma em Minas Gerais. “Não é um dom. Para você ser voluntário do Grupo Alegria só precisa ter vontade de fazer alguma coisa, vontade de ajudar, de ser mais humano”, conta.

Durante o treinamento são repassadas as diretrizes do Grupo, orientações de abordagens, comportamento e comprometimento. Não há uma obrigatoriedade ou imposições em relação às visitas. No entanto, como se trata de um público com limitações, há alguns cuidados que cada participante deve estar atento, como por exemplo, usar jalecos nas visitas aos hospitais. Como as atividades acontecem aos domingos, há ainda a dedicação do tempo que geralmente seria aproveitado para os afazeres pessoais. Mas, segundo Camila, essa parte é superada logo nas primeiras visitas. “A vontade de ir em todas das visitas é maior do que os compromissos que a gente tem. Como não há imposição, é um trabalho voluntário, a liberdade faz com que as pessoas queiram participar cada vez mais”, conta. As inscrições ainda estão abertas (veja detalhes abaixo).

“Nessa fase de formação percebemos que havia dúvidas em relação a se tornar voluntário, muita gente pensava que era obrigatório ir em tudo, e não há essa obrigação. A pessoa também é livre para deixar o grupo se perceber que não é isso que ela quer”, completa Laura Domingos.

A formação da primeira turma em Uberlândia será no dia 26 de agosto. Não há limite de pessoas ou idade e o Grupo Alegria também não tem ligação com religião, partido, ideologia ou ONG. Qualquer pessoa pode participar. O treinamento será ministrado por um dos integrantes da equipe nacional do Grupo Alegria.

 

CARACTERÍSTICA

Voluntários se caracterizam de palhaço nas abordagens

A principal marca do Grupo Alegria está bem evidente no nome. E para levar alegria às pessoas, nada melhor do que se fantasiar de palhaço, uma figura que muitas vezes é mal interpretada diante de caracterizações feitas em protestos, mas que tem como traços marcantes a inocência, a ingenuidade, a fragilidade. “Além da referência ao palhaço, que é uma figura alegre e divertida, é uma forma de libertar o que a gente tem e se doar por completo a quem está ali na sua frente. A ideia de esconder o rosto é realmente se colocar à disposição do outro”, diz Camila Kalil.

Segundo a coordenadora do grupo, não é preciso fazer as pessoas sorrirem ou ter o dom de palhaço para ser um voluntário. “Quando você se veste de palhaço, suas limitações são completamente quebradas. A partir do momento que você passa a maquiagem branca no rosto e faz uma pintinha vermelha no nariz, acabou. A Camila deixa de existir, a vergonha que eu tenho de falar com outra pessoa não existe mais”, diz a jornalista.

Sua experiência em outro grupo demonstrou que, às vezes, saber ouvir pode ser tão expressivo quanto uma boa risada. “O fato de parar para ouvir a história que um idoso tem pra contar vale mais do que uma piada que eu conte”, completa.

Esses e outros comportamentos são mostrados durante o treinamento dado aos voluntários do Grupo Alegria. A intenção é que sejam formadas duas turmas a cada ano na cidade. Além de compartilhar as manhãs de domingos com outras pessoas, a relações públicas Laura Domingos espera que o trabalho possa também gerar uma reflexão na sociedade, ainda bastante bombardeada por atos de preconceitos e individualidade. “Hoje em dia a gente só espera receber, só pede e, muitas vezes, o fato de dar um pouco de nós mesmos passa despercebido. O Grupo Alegria é uma oportunidade linda de retribuir um pouco, mostrar a gratidão pela vida e levar felicidade às pessoas que estão em situação difícil. Tenho certeza de que será uma ação muito bonita na cidade”, diz Laura.

 

SERVIÇO

O que: Primeira formação do Grupo Alegria Uberlândia

Onde: i9Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 3338 – Bairro Saraiva)

Quando: dia 26/08/2017, às 13h30

Inscrições

Contatos: Facebook - @grupoalegriauberlandia


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »