08/08/2017 às 16h01min - Atualizada em 08/08/2017 às 16h01min

Gambá é capturado no Santa Rosa e solto em reserva

VINÍCIUS ROMARIO | REPÓRTER
Gambás não vivem em grupos mas formam casais na época da reprodução / Foto: Divulgação/PM Meio Ambiente

 

Um gambá foi capturado pela Polícia Militar (PM) de Meio Ambiente no início da manhã de ontem, no Bairro Santa Rosa, zona norte de Uberlândia. Moradores da região acionaram os militares após encontrarem o animal sobre um saco de entulhos na avenida Olímpica. Após ser contido e capturado, o gambá, de acordo com a PM, foi solto em uma reserva de cerrado a 15 km de Uberlândia, onde terá água, abrigo e comida em abundância, minimizando o risco de esse animal retornar ao centro urbano.

Segundo o sargento Eduardo Venâncio, a expansão urbana e das fronteiras agrícolas acabam por limitar o habitat dos animais silvestres que migram para centros urbanos em busca de água, alimento e abrigo.

Sobre o animal, Venâncio afirmou que os gambás não vivem em grupos, mas, na época da reprodução, eles formam casais e constroem ninhos com folhas e galhos secos em buracos de árvores. Seus hábitos são noturnos, e, por isso, quando começa a escurecer, o gambá sai de seu abrigo para caçar e coletar alimentos. Sendo um animal onívoro, ele se alimenta de raízes, frutas, vermes e insetos. Embora possuam uma grande diversidade de presas, os gambás são animais de movimentos lentos e de pouca agilidade, exceto para subir em árvores, utilizando a cauda preênsil. Quando os gambás se sentem ameaçados eles involuntariamente desmaiam e secretam uma substância malcheirosa, o que frequentemente faz predadores desistirem de comê-los, por confundirem-nos com carniça.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »