21/07/2017 às 05h28min - Atualizada em 21/07/2017 às 05h28min

Casamento comunitário terá 150 casais no sábado

Projeto disponibiliza estrutura para casais que não conseguem arcar com despesas

WALACE TORRES | EDITOR
Leidiane e Leonardo foram contemplados com uma sessão de fotos antes do casamento / Foto: Nayara Valério/Divulgação

 

A barmen Leidiane Aparecida Oliveira, 32 anos, não dorme direito há quase uma semana, contando as horas como se fossem minutos. O motivo de tanta ansiedade está na proximidade do momento em que irá dizer o “sim” definitivo ao noivo Leonardo Pinheiro dos Santos, 32. Só que os dois não estarão sozinhos no altar. Leidiane e Leonardo estão entre os 150 casais que vão participar do casamento comunitário que acontecerá neste sábado, a partir das 15h na Igreja Assembleia de Deus, no bairro Cazeca, em Uberlândia.

“É uma experiência muito diferente. Trocamos ideias e conversamos com outros casais como se fôssemos amigos há muito tempo”, diz Leidiane, se referindo a um grupo de redes sociais criado pelas noivas para compartilhar experiências, contar histórias e descarregar a ansiedade. “Tem noiva que já acorda chorando de ansiedade”, conta Leidiane.

Esta será a 11ª edição do casamento comunitário promovido pela Associação Cristão Cidadão com apoio do Cartório de Registro Civil e diversos parceiros da iniciativa privada. Desde a primeira edição, em 2009, o projeto já beneficiou mais de 2.500 pessoas. A intenção é atender casais que desejam regularizar o estado civil e não possuem recursos para arcar com as despesas da celebração completa. Casais de qualquer religião podem se inscrever no casamento comunitário. O único critério é atender aos requisitos e apresentar a documentação exigidos pelo cartório.

Embora coletivo, são garantidos aos noivos gratuitamente todos os procedimentos de um casamento individual, como documentação, convites, dvds com a filmagem do evento, fotos, decoração da igreja, produção das noivas e outros serviços para os noivos receberem os convidados e familiares. Para atender aos casais interessados, um escola profissionalizante fará o atendimento de maquiagem, penteado e corte de cabelo, envolvendo um total de 50 pessoas entre profissionais e instrutores. Pelo menos 44 casais já confirmaram horário para atendimento, que também é gratuito. “A partir das 7h30 já começamos os preparativos. Esse é um trabalho que contribui muito também no aprendizado dos alunos”, diz a orientadora do Instituto Embeleze, Lorena Faria Souza.

Segundo os organizadores, os preparativos começaram há três meses envolvendo cerca de 100 voluntários que irão colaborar em várias áreas durante a realização do evento. São esperados cerca de 2 mil convidados. Após a cerimônia, cada casal segue seu destino, seja para a festa particular com amigos e familiares ou diretamente para a lua de mel.

É o caso do sushiman Maxwell Rodrigues Costa, 35 anos. Ele e a noiva Edineia Pinto Severo abriram mão da festa de casamento para curtir um pouco mais a sós. Após a cerimônia, eles vão para Caldas Novas passar alguns dias e aproveitar a economia que tiveram ao optar pelo casamento comunitário. “Nesse momento de crise, a gente acabou se enquadrando. Estamos muito ansiosos e felizes por essa oportunidade”, diz Maxwell.

Para a próxima edição do casamento comunitário, em maio do ano que vem, os organizadores já receberam quase 100 inscrições.

 

REDES SOCIAIS

Casais compartilham alegrias e histórias de vida

Além de dividir as emoções e o mesmo espaço, os casais que irão sacramentar a união neste sábado também compartilham diferentes histórias de vida. Algumas delas, são contadas durante o bate-papo entre casais que criaram até um grupo de WhatsApp. Leidiane Aparecida e Leonardo Pinheiro, por exemplo, se conheceram através das redes sociais. Ela conta que o noivo curtia muitas fotos em sua página no Facebook sem que ela desse tanta atenção, até que um dia um amigo lhe colocou no mesmo grupo de WhatsApp que Leonardo acessava. Não demorou muito e logo veio o convite para se conhecerem pessoalmente. “O primeiro encontro foi no hospital. Ele estava internado e pediu pra mim ir visitá-lo. Quando saiu, já começamos a namorar e logo fomos morar juntos”, conta Leidiane.

Os dois estão juntos há um ano e sete meses. Também foi num post nas redes sociais que eles ficaram sabendo do casamento comunitário. “Meu sogro também casou no comunitário. Falei com o meu noivo e ele topou. Foi tudo muito rápido. Em maio ficamos sabendo e já fizemos a inscrição. Graças a Deus deu tudo certo”, disse.

Maxwell Rodrigues e Edineia Severo trabalham há vários anos em restaurante, ele como sushiman num estabelecimento de comida japonesa e ela como cozinheira numa casa árabe. Ao final do expediente, os dois sempre se deparavam no ponto de ônibus na volta para casa. “Começamos a conversar no ponto, no ônibus e a partir daí passamos a gostar um do outro”, disse Maxwell, que confessa estar bem ansioso pela hora do casamento. “Mas ela está mais ansiosa do que eu”, diz. Os dois moram juntos há três anos e cada um já teve um casamento com filhos. Mas, no papel, será a primeira vez. Também será uma experiência nova dividir o momento com outros 149 casais. “Várias pessoas compartilhando alegria e felicidade, vai ser show”, completa.

Os dois casais acima estão entre os três que foram contemplados num sorteio com uma sessão extra de fotografias (pré-wedding), disponibilizadas pelo Studio Escola Hugo Matos.

 

Casamento Comunitário

Local: Templo Central Igreja Assembleia de Deus

Rondon Pacheco, 4094, bairro Cazeca

Cerimônia civil: 15h

Cerimônia religiosa: 18h


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »