21/06/2017 às 05h36min - Atualizada em 21/06/2017 às 05h36min

Verbas para aquisição de próteses são desviadas

DA REDAÇÃO

Uma operação deflagrada nesta semana pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em conjunto com as Polícias Civil e Militar, apurou um esquema de desvio de verbas públicas destinadas à aquisição de órteses e próteses pelo Hospital Bom Samaritano, em Teófilo Otoni, administrado pela Prefeitura.

Nomeada de Operação Bom Samaritano, a ação apurou também o pagamento de materiais ortopédicos que não foram entregues pela empresa fornecedora e, consequentemente, não foram recebidos pelos pacientes destinatários. Segundo apurado, mais de 300 pessoas foram afetadas pela fraude. Os valores pagos pelo hospital, em 2014 e 2015, totalizam quase R$ 400 mil.

Na operação, consequência de oito meses de investigações conduzidas pela 7ª Promotoria de Justiça de Teófilo Otoni, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão. Além disso, diante da necessidade de assegurar a restituição aos cofres públicos dos valores recebidos indevidamente pelos investigados, o MPMG pediu o bloqueio de bens e valores, deferido pelo Poder Judiciário. Busca-se também a responsabilização dos envolvidos nas esferas civil e criminal.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »