22/03/2017 às 08h24min - Atualizada em 22/03/2017 às 08h24min

Fenicafé deve movimentar R$ 30 milhões

Prefeito Marcos Coelho disse que Araguari é a cidade que mais produz café por hectare

A 22ª edição da Feira Nacional de Irrigação em Cafeicultura (Fenicafé), aberta oficialmente ontem em Araguari, tem previsão de movimentar R$ 30 milhões. O evento é promovido pela Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA) e a Federação dos Cafeicultores do Cerrado, com apoio do Ministério de Agricultura e Pecuária (MAPA), Embrapa Café, Prefeitura e Câmara Municipal de Araguari, e acontecerá até quinta-feira (23).

De acordo com o coordenador da Fenicafé, André Fernandes, além da Feira Nacional de Irrigação em Cafeicultura, que mostra os equipamentos e tecnologias do setor, há também o Simpósio de Pesquisa em Cafeicultura Irrigada e Encontro Nacional de Irrigação da Cafeicultura do Cerrado. “Este ano temos mais de 90 expositores de empresas nacionais e internacionais”, disse.

Na abertura do evento, o presidente executivo do Conselho Nacional do café (CNC), deputado Silas Brasileiro, destacou a importância da irrigação na produção de café. “A irrigação traz uma produtividade maior, gera renda e faz com que o produtor seja mais competitivo no mercado”, disse, reforçando que a Fenicafé é um local para aprendizado, com troca de ideias e conhecimento de novas técnicas.

“O Brasil exporta 37% do café consumido no mundo. Isso para nós é muito importante, tanto pela qualidade do grão quanto pelo profissionalismo dos nossos produtores. Estamos competindo de igual para igual com mercados como a Colômbia. Temos uma bebida excepcional e devemos mostrar que somos capazes de produzir uma bebida de qualidade, com competitividade de mercado”. Silas Brasileiro projeta um crescimento de 3% nas exportações a cada ano. “Nossa meta é chegar em 2018 com volume de 40% do café exportado no mundo”.

O presidente da Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA), entidade promotora do evento, Cláudio Morales Garcia, reforçou que durante a Fenicafé os produtores podem conhecer o que há de mais moderno em tecnologia, englobando máquinas e implementos. “Nossa missão é transmitir conhecimento e dar ferramentas para que o produtor produza um café que tenha cada vez mais qualidade, valor diante do consumidor e maior poder de comercialização, com lavouras ambientais e socialmente corretas”.

Já o prefeito de Araguari, Marcos Coelho, destacou a importância da produção cafeeira do munícipio. “Sabemos que Araguari é uma grande produtora de café, tendo cerca de 97% do seu plantio irrigado, e somos ainda a terceira maior produtora nacional; Araguari é a cidade que mais produz café por hectare, já podemos nos considerar líderes no setor, líderes em tecnologia”.

Além da cerimônia de abertura, o primeiro dia teve como programação palestras voltadas para o mercado e a qualidade do café. Hoje, no segundo dia do evento, durante o Simpósio Brasileiro de Pesquisa em Cafeicultura Irrigada, haverá palestras voltadas para novas técnicas de irrigação e de Fertirrigação.

No último dia serão abordadas as novas tendências da cafeicultura brasileira, a fisiologia do cafeeiro e também o manejo prático e econômico da colheita mecanizada. Haverá, no encerramento, a palestra gratuita “Nutrição humana para alta performance”, com a nutricionista da Universidade de São Paulo (USP), Alessandra Luglio.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »