08/02/2017 às 09h06min - Atualizada em 08/02/2017 às 09h06min

Estação de esgoto funciona em condições precárias

DMAE alega que obra foi entregue sem condições plenas de atendimento

Walace Torres – editor
Sérgio Attiê pediu uma sindicância administrativa interna para apurar responsabilidades durante gestão anterior

 

     A Estação Elevatória de Esgoto instalada na região Oeste de Uberlândia e que irá receber o esgoto das casas do Residencial Pequis ainda não está totalmente pronta para funcionar, apesar de hoje já existirem cerca de mil famílias morando no novo conjunto habitacional. Segundo a direção do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae), a Estação de número 8, que é responsável por receber o esgoto de outras dez estações elevatórias – sete no Morada Nova e três no Pequis – está funcionando em caráter precário. 
O residencial Pequis tem um total de 3.200 casas, sendo que mil foram entregues no fim do ano passado. 
Segundo a direção do Dmae, houve precipitação por parte da gestão anterior que teria assinado um “laudo comprometedor” visando liberar a obra para que a Caixa Econômica Federal pudesse então dar andamento aos trâmites necessários para a entrega das casas. “Ao fazermos uma visita à Caixa, para termos conhecimento de como estavam os processos, soubemos que havia um laudo de recebimento provisório da estação número 8, apresentado por funcionários do Dmae. Então constatamos que aquilo não correspondia aos fatos”, disse o atual diretor geral do Dmae, Sérgio Vieira Attiê. 
Em entrevista coletiva dada à imprensa na tarde de ontem, Sérgio Attiê mostrou um termo de recebimento da obra assinado pela gestão passada com data de 8 de novembro de 2016. No documento, consta que servidores do Dmae fizeram uma vistoria e constataram que a execução estava de acordo com o projeto aprovado e as especificações técnicas, considerando a obra aceita, em caráter provisório, e estipulando um prazo de 60 dias para o recebimento definitivo. “Acontece que a energia da estação foi entregue ao Dmae em 29 de dezembro, ou seja, 51 dias depois do recebimento provisório. É um laudo comprometedor, que colocou o Dmae em condições difíceis, pois atestou uma coisa que não correspondia com os fatos”, disse Attiê, que determinou a abertura de uma sindicância administrativa para a apurar a responsabilidade dos servidores que assinaram o termo. O diretor informou que o resultado da sindicância será encaminhado ao Ministério Público para eventuais providências. “O administrador público não pode faltar com a verdade em momento algum”, disse.
Apesar da situação, o diretor afirma que as famílias que já estão vivendo no Residencial Pequis não foram afetadas pelo funcionamento precário da estação. Ele disse que ainda faltam alguns equipamentos para serem testados na fábrica antes de serem instalados, além de alguns ajustes na estrutura. Segundo aponta, o ideal era que os testes fossem feitos antes da ocupação do Residencial, o que não aconteceu. O primeiro teste na estação aconteceu em 4 de janeiro e foi feito com o reservatório cheio de esgoto. “O teste poderia ter sido feito com água, antes que as famílias se mudassem”, disse Attiê, destacando que houve rompimento da tubulação nesse dia e também no segundo teste, no dia 22 de janeiro. O Dmae, no entanto, fez os ajustes necessários.
O diretor geral informou ainda que a estação está funcionando manualmente, com equipes fazendo o revezamento em turnos, até que a estrutura esteja em condições plenas de funcionamento. Não foi dada uma previsão para conclusão do serviço. “Queremos entregar o mais rápido possível para não frustrar o sonho das pessoas que aguardam para se mudar para o Residencial”, disse.

Antiga diretoria. O ex-diretor do Dmae Orlando Rezende, que foi um dos que assinaram o termo de recebimento provisório da estação, disse que o órgão recebeu orientação da empreiteira e que a estrutura tinha condições de funcionar mesmo não estando definitivamente concluída. “O Dmae assinou por orientação da empreiteira. É normal fazer os ajustes com a obra em funcionamento.  Ninguém deixou de mudar por conta disso”, disse.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »