02/02/2017 às 08h45min - Atualizada em 02/02/2017 às 08h45min

Chuva continua nos próximos dez dias

Walace Torres | editor
Chuva na região nesta época tem como principal responsável a Zona de Convergência do Atlântico Sul, típica de verão

A chuva que tem caído durante parte do dia em Uberlândia e região vai continuar atenuando o calor pelo menos nos próximos dez dias. A previsão é de tempo nublado em parte do dia e 

Pancadas de chuva no fim da tarde durante a primeira quinzena de fevereiro. Apesar de as chuvas que tem caído regularmente todos os dias dar a sensação de um volume maior de água, o acumulado durante o mês de janeiro ficou abaixo da média histórica para o período. Até a madrugada de 31 de janeiro, o volume acumulado de chuva em Uberlândia foi de 230 milímetros, enquanto que a média histórica para o mês de janeiro é de 320 mm.
“Essa sensação é porque a chuva está muito bem distribuída, ou seja, chove à tarde e também à noite. Em janeiro, choveu 30% abaixo da média histórica, mas está dentro do normal climático”, disse o professor de Climatologia da Universidade Federal de Uberlândia Paulo Cezar Mendes.
Ele conta que a chuva na região nesta época tem como principal responsável a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é um sistema meteorológico típico do verão. Esse sistema chega pelo Amazonas, no Norte, e traz um grande volume de chuvas até a região Sudeste. Para fevereiro, há uma expectativa de um volume de 200 mm de precipitação para Uberlândia, no entanto, pode haver alteração com a chegada de outro sistema atmosférico denominado Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS). “Teremos que esperar umas duas semanas para saber a magnitude desse evento”, diz o professor de Climatologia, ressaltando que esse sistema, que começou há aproximadamente uma semana tende a comprometer mais o Sul do país e, especificamente no caso de Minas Gerais, a região Norte.

Cuidados

Nesta época do ano é comum que ruas e avenidas fiquem alagadas durante um temporal. Em Uberlândia, a Defesa Civil mapeou 43 pontos de risco de alagamentos. Nesses locais, os órgãos que integram a Defesa Civil fazem o trabalho de monitoramento e interdição das vias antes e durante os temporais. Pelo menos cinco locais são considerados pontos de alto risco e devem ser evitados durante uma forte chuva:  avenida Rondon Pacheco, avenida Anselmo Alves dos Santos, Travessias do Córrego Lagoinha, avenida Getúlio Vargas e Travessias do Córrego do Lobo.
Outras medidas dependem diretamente da conscientização da população para evitar agravamento de situações em época de chuva. É o caso do acondicionamento correto do lixo doméstico. A sujeira jogada em vias públicas e passeios é levada pela água pluvial até a rede de esgoto, provocando o entupimento de bueiros e bocas de lobo. Isso pode ocasionar enxurradas e inundações, já que a água da chuva não terá local para escoamento, além de gerar refugo (volta) do esgoto para as residências.
“A Defesa Civil está sempre em alerta e estamos preparados para atender possíveis ocorrências. Em casos de previsão de chuvas mais fortes nós orientamos a população a evitar os locais com maior risco de alagamento, e aos motoristas que não tentem atravessar vias alagadas”, afirmou o diretor da Defesa Civil de Uberlândia, Capitão João Batista Afonso.

 

  


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »