24/05/2022 às 17h56min - Atualizada em 24/05/2022 às 17h56min

Instituições de Uberlândia pedem doações para proteger animais abandonados do frio

Queda da temperatura também atinge cães e gatos que vivem nas ruas da cidade; veterinária alerta para riscos de doenças graves

SÍLVIO AZEVEDO | DIÁRIO DE UBERLÂNDIA
Segundo veterinária, animais podem contrair gripes e cinomose | Foto: Divulgação
A queda de temperatura que atingiu o país nos últimos dias também tem afetado os animais abandonados, que podem sofrer doenças severas com o frio, como a cinomose e a gripe. Em razão disso, instituições de Uberlândia que abrigam cães e gatos pedem ajuda da população com doações de cobertores, alimentos e outros utensílios. 

A Organização não Governamental (ONG) Bicho sem Grilo está realizando uma campanha para arrecadar, toalhas, panos, edredons e lençóis. Atualmente, a instituição atende 180 gatos e 70 cães. Além disso, eles também fazem parceria com a ONG Serzinho de Luz que atende aproximadamente outros 400 animais.

Segundo a presidente da Bicho sem Grilo, Maria Aparecida dos Anjos, nos últimos dias foram arrecadados cerca de 70 peças, entre cobertores e toalhas, lençóis e mantas. Porém, o número é insuficiente diante da demanda. 

“A gente recebeu algumas doações. Mas em razão da grande quantidade de animais e a necessidade de estar sempre lavando e trocando, não foi o suficiente”.

Com o recebimento das peças doadas, a instituição trabalha para que a maior quantidade possível de animais seja atendida. “ Vai chegando a gente já destina. Cobertores que podem ser cortados nós dividimos. Também vieram roupinhas para cachorros e gatos. Uns não se adaptam, mas outros têm o costume e gostam”, disse Maria Aparecida.

A voluntária afirmou que, entre os animais que mais sofrem com o frio, estão os mais idosos. “Com baixa nutrição, acabam morrendo por hipotermia nas ruas. É uma covardia muito grande. O ato de abandonar em si já é cruel. Agora um filhote ou idoso, mostra que falta caráter para quem faz uma coisa dessas”.

A ONG pede ajuda da população de Uberlândia para continuar atendendo os animais que foram abandonados nas ruas. “Para fazer a doação, basta procurar a ONG Bicho sem Grilo no Instagram (@bichosemgrilo), ou pelo telefone 99264-5572”.

O professor aposentado Hamilton Ribeiro também recolhe animais nas ruas de Uberlândia e pede apoio dos cidadãos para poder oferecer conforto aos bichinhos. Ao todo, ele cuida de 178 cães em uma chácara alugada e outros 30 em casa. 

Do salário que recebe com a aposentadoria, metade vai para bancar o aluguel da chácara e a outra metade para comprar rações.  “Meu salário vai tudo. Pra falar a verdade, até comida me falta, porque prefiro dar pra eles do que pra mim. Então estou precisando para ontem. “Estou precisando de cobertor e ração”.

Segundo Hamilton, devido às dificuldades, os animais sofreram com o frio da última semana. “Passaram frio. Eu levei o que pude, que foi jornal, caixa de papelão, mas não deu, são 178 cachorros. Estou sem saber qual a saída que vou ter se não receber a ajuda”. 

Quem quiser ajudar o Hamilton, seja com peças de roupas, cobertores ou ração para os cachorros, é só ligar no telefone (34) 99928-6912.

RISCOS
De acordo com a veterinária Nicilene Cardoso, assim como para os seres humanos, a baixa temperatura traz um grande impacto na saúde dos animais. Nessa época do ano surgem muitos casos de doenças virais, tanto nos cães, quanto nos gatos.

“Em cães temos o aumento da cinomose, que é viral e acomete o sistema nervoso. Tem também a gripe dos cães, com tosse e secreção nasal, que é bacteriana. Nos gatos têm a gripe dos gatos, que é viral, e que no frio os sintomas ficam mais acentuados. Então a gente conscientiza muito os tutores para que vacinem os animais”.

Segundo a veterinária, cerca de 80% dos animais atendidos na clínica durante a última semana estavam com sintomas gripais. “Desses, a maioria poderia ser evitada se tivesse a vacinação em dia. Existe vacina de gripe para cães e gatos. Todos os animais podem se contaminar, mas os que têm o focinho menor, como bulldog, shitzu, pug e gatos em geral, têm uma predisposição muito maior. Então a vacina para eles é essencial, altamente recomendada”.

A profissional reforçou que, caso os animais comecem a apresentar sintomas como tosse, espirro, secreção ocular ou nasal, o veterinário deve ser procurado. “O sintoma de gripe pode ser o começo de uma doença muito grave. Uma gripe pode evoluir a pneumonia, que coloca a vida do animal em risco. Quanto antes iniciar o tratamento, maior a chance de recuperar”.

Nicilene reforça que, além da vacinação, nos tempos mais frios, é importante agasalhar os animais, principalmente os de pelos curtos. “São temperaturas que não estamos acostumados. Apesar da pelagem, não é o suficiente para fazer uma proteção. As raças que quase não tem pelo tem a orientação de roupinhas. Os idosos que têm problemas articulares sentem mais dor. Precisamos assegurar que eles se sintam mais protegidos”.


• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram

VEJA TAMBÉM:

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »