20/05/2022 às 14h53min - Atualizada em 20/05/2022 às 14h53min

Professor é preso por importunação sexual contra alunas menores de idade em Uberlândia

Fato ocorreu na Escola Estadual Lourdes de Carvalho; vítimas relataram que o autor acariciava elas durante as aulas

REDAÇÃO | DIÁRIO DE UBERLÂNDIA

Um professor, de 74 anos, foi preso em flagrante, nesta quinta-feira (19), após ser denunciado por importunação sexual contra alunas do 6º ano da Escola Estadual Lourdes de Carvalho, em Uberlândia. As vítimas relataram a situação à diretoria da unidade e aos pais, que acionaram a Polícia Militar (PM).

 

Segundo informações repassadas aos policiais, o idoso dava abraços forçados nas estudantes e passava a mão pelos braços, ombros e cabelos delas durante as aulas. Além disso, segundo as vítimas, ele as presenteava sem motivos com canetas e lápis. 

 

Uma das alunas, de 12 anos, contou à supervisora da escola que o professor havia acariciado as costas e tocado nos seios dela durante a revisão de uma tarefa escolar na sala de aula. 

 

Outra estudante, também de 12 anos de idade, mostrou aos policiais que o homem mandava mensagens para ela pelo Instagram. O professor chegou a mandar mensagens falando que amava a menina e que ela era linda. 

 

Questionado sobre as acusações, o autor relatou aos militares que tem um carinho muito grande pelas alunas e que as tratam como se fossem netas dele. Além disso, informou que os presentes são para recompensar os estudantes que terminam as tarefas primeiro. 

 

Diante da situação, o idoso foi preso em flagrante pelo crime de importunação sexual e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil. 

 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) informou que, ao tomar conhecimento dos fatos, a direção da escola acionou a Polícia Militar. Uma equipe de inspeção escolar está na unidade de ensino acompanhando o caso e prestando atendimento aos alunos envolvidos no fato. Em relação ao professor, a unidade de ensino prepara a dispensa do funcionário, seguindo protocolo da SEE/MG. A Superintendência Regional de Ensino de Uberlândia (SRE) e a Polícia Civil acompanham o caso. 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »