07/01/2022 às 07h30min - Atualizada em 07/01/2022 às 07h30min

Projeto quer transformar o Clube da Esquina em Patrimônio Cultural de MG

IEPHA-MG ficará a cargo de reunir informações relevantes sobre o grupo

DA REDAÇÃO
Para celebrar o ano da Mineiridade, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), vai exaltar as manifestações artísticas e as tradições que tornam a cultura mineira uma identidade única. E uma dessas ações consiste em um projeto para conferir à obra do Clube da Esquina o título de Patrimônio Cultural Imaterial de Minas Gerais.
 
O início do projeto, reunindo informações relevantes sobre o trabalho do Clube da Esquina ao longo dos anos, ficará a cargo do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), que em breve dará início ao inventário. O Clube da Esquina completa 50 anos de história em 2022. O grupo é um dos mais relevantes no cenário nacional, sendo responsável por cantar as belezas de Minas em diferentes melodias e composições.
 
De acordo com o secretário de estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, o objetivo desse projeto é evidenciar e perpetuar a vasta produção do grupo. “No ano da Mineiridade efetivar a obra do Clube da Esquina como originalidade da criação artística do estado é o primeiro passo para o reconhecimento administrativo pela UNESCO. Porém, tal como nosso barroco é único, nossa modernidade é a síntese de brasilidade”, destacou Oliveira.
 
O secretário também complementou que essa iniciativa exaltará a arte, a cultura, a história e o sentimento de orgulho do povo mineiro. “Os grandes do Clube da Esquina são eternos. Gênios de singularidade que transcendem países, nações e, certamente, a eternidade. Patrimônio Cultural da Mineiridade e sua grande expressão, é marca da nossa cultura montanhesa, leve e de afeto profundo: mineiríssima e mundial e aos gênios de sua criação, a gratidão do povo mineiro”, concluiu.

VEJA TAMBÉM:
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »