27/10/2021 às 18h07min - Atualizada em 27/10/2021 às 18h07min

Uberlândia fecha o mês de setembro com mais de mil novas vagas de emprego

Economista aponta retomada da economia na cidade; setores de Serviço e Comércio contribuíram foram os que mais contrataram

SÍLVIO AZEVEDO
Das 10.483 contratações, 6.028 foram de homens e 4.455 de mulheres | Foto: Divulgação

O Ministério da Economia divulgou, nesta terça-feira (26), os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) referentes ao mês de setembro. Os números de Uberlândia continuam positivos com um saldo de 1.075 novas vagas criadas no período.

Segundo os dados do Caged, Uberlândia registrou 10.483 admissões ante 9.408 demissões. Os setores que mais contribuíram foram o de Serviço, com saldo positivo de 801 vagas, e o Comércio, com 309 vagas. A Construção Civil também teve alta de 95 vagas, enquanto a Indústria ficou zerada e o setor de Agropecuária negativou em 130 vagas.

No acumulado do ano, de janeiro a setembro, Uberlândia gerou 10.819 novos postos de trabalho, mantendo a cidade como a sexta mais bem posicionada em geração de empregos entre todas as cidades do interior do Brasil neste período.

De acordo com o economista do Carlos Henrique Oliveira e Silva Paixão, os dados mostram uma retomada da economia, mesmo que o país ainda esteja em meio a uma grave crise econômica.

“São indicadores que mostram que existe uma retomada da economia em razão do avanço da vacinação contra a covid-19. A vida econômica começa a ressurgir em alguns setores que estavam totalmente parados e começa a incrementar em outros que estavam em uma velocidade baixa”. 

Ainda de acordo com o economista, o saldo positivo de contratações é o primeiro indicador de retomada da economia e que os dados de Uberlândia são melhores do que de outras cidades de Minas Gerais.

“Quando você vê os dados positivos de Uberlândia, que é uma cidade muito econômica, um polo regional, estadual e nacional em alguns segmentos, essa retomada acontece numa pungência um pouco maior, ao contrário de outras cidades pares como Juiz de Fora, Betim e Contagem, que é mais lenta”.

Apesar do avanço, o economista alerta para a inflação que acompanha essa retomada. “A pandemia desestruturou toda a cadeia produtiva em todos os segmentos. A gente amarga hoje uma inflação, porque com a retomada existe a necessidade de alguns de adquirir bens e produtos. Contudo, não existe estrutura para atender essa demanda”, finalizou. 

PERFIL
O Caged também identificou o perfil dos trabalhadores que entraram ou saíram do mercado de trabalho no mês de setembro. Das 10.483 contratações, 6.028 foram de homens e 4.455 de mulheres. Quanto à escolaridade, a maioria, 6.327, possui ensino médio completo e 1.208 superior completo. Jovens com idades entre 18 e 24 anos conseguiram mais vagas e ocuparam 3.301 postos de trabalho.

Já nos desligamentos, 5.319 dos 9.408 profissionais que perderam o emprego eram homens e 4.089 mulheres. Pessoas com ensino médio também são maioria, com 5.530 casos. Em relação à faixa etária, os jovens de 18 e 24 anos foram os mais afetados, com 2.681 desligados.

O grupo de trabalho que mais contratou em Uberlândia durante o mês de setembro foi o de trabalhadores dos serviços e vendedores de comércio em lojas e mercados, com 2.795 postos de trabalho. Enquanto isso, o de trabalhadores de serviços administrativos demitiu 2.681 pessoas.

VEJA TAMBÉM:

 

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »