22/10/2021 às 19h05min - Atualizada em 22/10/2021 às 19h05min

Uberlândia registra queda em internações por covid-19 pela 5ª semana consecutiva

Considerando o período de 17 de setembro a 22 de outubro, houve uma diminuição de mais de 50% no número de pessoas hospitalizadas

GABRIELE LEÃO
Mesmo com alto índice de vacinação, cidade tem 30 mil faltosos | Foto: PMU/Divulgação

Com mais de 1 milhão de doses das vacinas contra a covid-19 aplicadas na população, Uberlândia registrou diminuição no número de internações pela doença pela quinta semana consecutiva. Devido a isso, parte dos leitos criados no início da pandemia serão redistribuídos para outras patologias. 

Nesta sexta-feira (22), o boletim epidemiológico apontou que 84 pessoas estavam internadas com suspeita da doença nas unidades privadas e públicas da cidade. Além disso, a taxa de ocupação de leitos destinados à covid estava em 32%. Conforme diz o informe da Secretaria Municipal de Saúde, esse número está em constante queda. Em cinco semanas, considerando o período de 17 de setembro a 22 de outubro, houve uma diminuição de mais de 50% no número de pessoas hospitalizadas. 

Segundo o assessor da Rede de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde, Clauber Lourenço, a pandemia teve um ápice em meados de março e abril deste ano e todos os leitos disponíveis nos hospitais públicos da cidade foram ocupados. No período, o índice de infecção viral chegou a 1,23%.

Ainda de acordo com Clauber, com o passar dos meses e com o avanço da vacinação o perfil dos pacientes internados começou a mudar. Os leitos que eram ocupados por mais idosos, passaram a ser ocupados pela população mais jovem. 

“Com mais um salto no tempo e com a população jovem já vacinada com pelo menos uma dose, os números de internações caíram mais ainda. Além disso, também percebemos uma diminuição nos números de casos suspeitos, chegando a 10% do total de pacientes que procuram atendimento nas Unidades de Atendimento Integrado (UAI)”, disse. 

Atualmente, o índice de infecção viral na cidade é 0,65%. O percentual é considerado controlado, conforme dito pelo assessor da Rede de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde. 

Os leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) que foram disponibilizados durante a pandemia, sendo eles no Hospital e Maternidade Odelmo Leão Carneiro e no Centro de Internação Missão Sal da Terra, instalado na Casa da Fraternidade São Francisco de Assis, popularmente conhecido como Dr. Hansen, continuam funcionando, desta vez, recebendo o público em geral que precisa de outros atendimentos. Já o Hospital Santa Catarina, que atende apenas pacientes com covid-19, os leitos serão mantidos apenas para atender pessoas com a doença. 

FALTOSOS
Mesmo com a disponibilidade da vacina e com um alto índice de imunização da população, a cidade ainda registra mais de 30 mil faltosos, segundo Clauber Lourenço. Algumas pessoas já foram chamadas mais de seis vezes e ainda não compareceram. 

“Esse número no geral, comparado a uma cidade de 700 mil habitantes, é muito pequeno, mas se pensarmos que 5% dessa porcentagem seja infectada por covid-19 e precise de atendimento, aí sim geramos um problema”, ressaltou. 

Para Clauber, já está mais que claro que a vacina é eficaz e a queda constante no número de internações comprova isso. “Percebemos que a faixa etária de 40 anos ainda está ocupando os leitos de UTI e uma característica semelhante na maioria é a falta de imunização. Entendemos que por motivos pessoais, religiosos ou de saúde, essas pessoas optaram por não se vacinar, mas essa não é a recomendação, uma vez que percebemos a diminuição de internações e complicações de pessoas vacinadas”, explicou.

 

Notícias Relacionadas »
Comentários »