21/10/2021 às 17h41min - Atualizada em 21/10/2021 às 17h41min

Empresas e órgãos públicos de Uberlândia apostam em automação de processos para economia de papel

Hospital gerou economia de 40% no uso do papel após implementação de sistema online

GABRIELE LEÃO
Sistemas online facilitam comunicação entre setores e gera menos despesas para os cofres públicos | UFU/DIVULGAÇÃO
Empresas de Uberlândia estão apostando em automatizar o serviço diário para economizar no uso de papel e contribuir com o meio ambiente, além de melhorar e agilizar os processos internos e externos.
O Santa Genoveva Complexo Hospitalar é um exemplo dessa mudança. A unidade vem automatizando alguns processos que demandavam o uso de papel. A implementação, que começou há um ano, passou a fazer parte da rotina dos profissionais e clientes.

Segundo o CEO, Edemir Beltrame, o hospital diminuiu em 40% a quantidade de papel utilizado nos primeiros três meses. O número representa uma redução de 230 pacotes de 500 folhas, que eram utilizados mensalmente na organização.

“Com essa implementação, a meta é aumentar essa economia para 80% até abril de 2022. Nesse primeiro momento de ação, já conseguimos atender a demanda dos profissionais e também das famílias e pacientes que são atendidos. Por exemplo, se alguém precisa do prontuário médico, a partir de julho, conseguimos todas essas informações online”, explicou.

Beltrame contou ainda que, a partir de 30 de outubro, as famílias terão acesso a boletins médicos em uma plataforma exclusiva, sem precisarem se deslocar até a unidade. “A pandemia não foi ponto de partida, mas com certeza acelerou o processo de modernização dos sistemas, melhorando a comunicação com o paciente e família, assim como também o impacto ambiental”, comentou.

SERVIÇO PÚBLICO
A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) também foi uma das instituições que aderiram aos procedimentos online. Nos primeiros dois anos, desde a implementação em 2017, a instituição gerou uma economia de R$ 1,49 milhões em papel.

Pedro Santos Guimarães, presidente da Comissão de Assessoramento do Sistema Eletrônico de Informações, contou que o formato eletrônico simplifica o acesso a informações e comunicação interna.
“Com a pesquisa instantânea, há o aumento de produtividade e agilidade no trâmite dos processos envolvendo as unidades acadêmicas ou administrativas da universidade. Além disso, a população tem mais acessibilidade até mesmo para conferir os serviços prestados pela universidade”, contou.

A Prefeitura de Uberlândia foi outro órgão a aderir ao uso da automatização para a redução de papel. O município passou a utilizar o E-docs, sistema eletrônico sustentável para os procedimentos internos entre os diversos setores da administração. No primeiro mês de operação, mais de 10 mil documentos foram formalizados de forma eletrônica.

PRODUÇÃO
De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), em 2018, o Brasil produziu cerca de 43.571 toneladas de produtos derivados de celulose. Desses, apenas 3% tiveram destinação correta e coleta para reciclagem. Ou seja, 97% de todo esse papel acabam em queimadores de lixo, aterros sanitários, ruas, rios e florestas.


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »