20/09/2021 às 18h00min - Atualizada em 20/09/2021 às 18h00min

Após falha no sistema, pessoas sem agendamento furam fila e recebem doses da vacina em Uberlândia

Prefeitura informou que várias pessoas de 18 anos não receberam a mensagem de comparecimento; público recebeu informação não oficial da sobra de doses e conseguiu se vacinar sem respeitar agendamento

GABRIELE LEÃO
Confusão ocasionou grandes filas do lado de fora do UTC nesta segunda | Foto: Divulgação

O compartilhamento de uma mensagem via WhatsApp a respeito da sobra de vacinas contra a covid-19 gerou tumulto em Uberlândia nesta segunda (20). O Diário teve acesso a um texto que foi compartilhado em grupos no aplicativo informando a respeito de uma sobra de doses no UTC da Getúlio Vargas. A informação, não oficial, foi repassada após a Prefeitura de Uberlândia divulgar uma nota informando sobre um erro no sistema que impediu o envio de mensagens para a convocação de parte do público que estava agendado para se vacinar nesta segunda. Com isso, algumas pessoas pularam a fila e foram imunizadas sem agendamento ou confirmação oficial da Prefeitura.

Uma pessoa de 29 anos, que não quis se identificar, informou à reportagem que recebeu a mensagem em um grupo do aplicativo. Segundo ela, o informe dizia que no UTC estavam sobrando vacinas da Pfizer e que foi autorizada a aplicação da segunda dose em pessoas que já estavam com mais de 21 dias da primeira aplicação. 

“Recebi a informação de forma casual no grupo da empresa em que trabalho às 10h da manhã. Como sabia que a previsão da segunda dose seria em um período que estaria fora da cidade, fui até o local e tentei a sorte. Chegando lá, já havia uma fila enorme e uma das pessoas da organização me perguntou se eu tinha recebido uma mensagem e confirmei que soube das doses sobrando pelo WhatsApp. Só precisei apresentar meu documento de identificação e cartão de vacina, e consegui me vacinar”, contou.  

Uma segunda pessoa que também não quis se identificar contou à reportagem que recebeu a dose da vacina sem receber o agendamento oficial do Município. Ela relatou que ficou sabendo das doses sobrando através de um grupo de amigas, na manhã desta segunda, e foi até o local. 

“Tomei a primeira dose em agosto e meu agendamento para a segunda dose seria apenas para novembro. Quando recebi a informação de que poderia me vacinar hoje, fui até o UTC e, sem nenhum tipo de dificuldade, apresentei meu cartão de vacina e tomei a segunda dose da Pfizer”, comentou. 

ERRO NA CONVOCAÇÃO
Na manhã desta segunda, a reportagem teve acesso a uma dessas mensagens repassadas pelo WhatsApp que dizia que estavam sobrando doses da Pfizer, já que muitas pessoas do público de 18 anos não haviam comparecido ao local. Diante da situação, o Diário procurou a Prefeitura para averiguar a situação.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que, por problemas técnicos, as mensagens de convocação para o UTC da Getúlio Vargas nesta segunda-feira não foram enviadas. Ainda foi dito que as doses estavam preparadas e para otimizar foram convocadas pessoas que estavam aguardando a primeira ou segunda dose e faltosos que aguardavam reagendamento. 

Contudo, ao contrário da nota enviada pelo Município, algumas pessoas que não foram agendadas conseguiram se vacinar apenas comparecendo ao local. 

Vale ressaltar ainda que na programação para a vacinação desta segunda-feira (20) e terça-feira (21), divulgada pela Prefeitura na última sexta-feira (17), não consta a aplicação da segunda dose da Pfizer. O cronograma publicado nas redes sociais do Município informa que a programação era dar continuidade à imunização do público de 18 anos e aplicar a 2ª dose para vacinados com a Astrazeneca entre 21 de junho e 5 de julho. 

QUESTIONAMENTOS
O Diário de Uberlândia enviou questionamentos para a Prefeitura sobre as pessoas que conseguiram se vacinar sem agendamento oficial. A reportagem perguntou a respeito da fiscalização feita para impedir que pessoas furem a fila em situações que sobram vacinas. Além disso, foi questionado quais critérios serão tomados a partir de agora para poder imunizar o público que foi prejudicado devido ao erro de convocação. O Município não respondeu nenhum dos questionamentos feitos pelo Diário até a publicação desta matéria.

VEJA TAMBÉM:

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »