16/07/2021 às 10h45min - Atualizada em 16/07/2021 às 10h45min

Com conta de luz cada vez mais cara, busca por energia solar cresce em Uberlândia

Energia fotovoltaica tem investimento inicial alto, porém, muito atrativo em médio e longo prazos

LORENA BARBOSA
Dois condomínios administrados pelo síndico executivo Alexandre Souza Nogueira têm energia solar I Foto: Arquivo Pessoal
Em busca de economia, a procura por energia solar tem crescido em Uberlândia. A modalidade é uma opção que tem ganho espaço neste momento marcado pelo encarecimento da energia elétrica e pode ser uma solução para a crise hídrica que o país vive.

Desde junho, a conta de energia ficou mais cara no Brasil. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) passou a cobrar bandeira vermelha patamar 2, com valor extra de R$ 6,24 para cada 100 kWh de energia consumidos. O problema está ligado à situação das hidrelétricas, que passam por desabastecimento de água.

De acordo com o professor da Faculdade de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Uberlândia (Feelt/UFU), Luiz Carlos Gomes, o problema é antigo e todo ano se repete na época de seca. Os reservatórios das usinas hidrelétricas ficam com níveis muito baixos e a conta de energia com o preço muito alto.

O professor explica que a solução seria diversificar a matriz de produção energética para conservar os recursos hídricos. A energia solar pode contribuir com essa conservação, assim como a energia eólica. Em termos financeiros, a energia fotovoltaica tem um investimento inicial alto, porém, muito atrativo em médio e longo prazos. “Um consumidor residencial comum, ele consegue receber o retorno desse investimento em cerca de quatro anos até com financiamento bancário. O que você economiza na energia, você paga o financiamento.”

Alexandre Souza Nogueira é síndico executivo, dos seis condomínios que administra em Uberlândia, dois deles têm energia solar. A economia dos dois prédios, desde janeiro, quando ele fez a mudança para a energia fotovoltaica, já passa de R$ 1700,00, segundo Alexandre.

O síndico está preparando as documentações para que outros prédios também passem para a energia solar. “Eu consigo investir em outro lugar esse dinheiro. Eu consigo comprar um móvel novo. É uma renda que a gente não contava e conseguiu reunir”, explicou o administrador.



USINAS FOTOVOLTAICAS
A Flux Energi é uma plataforma de energia fotovoltaica que vende a energia produzida por usinas fotovoltaicas grandes para o consumidor final, o que garante um desconto de 10 a 15% na conta de energia.

O CEO da empresa criada em 2020, André Justino, explica que nos últimos tempos a procura por energias alternativas aumentou bastante. De acordo com ele, grande parte desse crescimento deve-se a um trabalho de divulgação da empresa sobre a forma de produção de energia, que é desconhecida por parte dos consumidores.

Além de distribuir a energia gerada nas fazendas solares, a Flux trabalha com a montagem de placas para produção de energia solar em casa e o investimento inicial pode ser por volta de R$ 9.000,00.

O empresário diz que hoje existem financiamentos em que o consumidor vai pagar pela parcela um valor mais baixo do que ele pagaria na conta de energia. “O governo federal está incentivando por causa da falta de recursos hídricos. Se a gente conseguisse acelerar o processo de placas e também esse projeto de plantas em fazendas solares, seria benéfico para todo mundo”, disse André.


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »