03/06/2021 às 08h00min - Atualizada em 03/06/2021 às 08h00min

Programa de Apadrinhamento busca voluntários para atuar em instituições de acolhimento em Uberlândia

Iniciativa auxilia organizações que acolhem crianças e adolescentes em situação de medida protetiva e vulnerabilidade social

BRUNA MERLIN
Devido à pandemia do novo coronavírus e a falta de socialização dos atendidos, a maior demanda é por psicólogos | Foto: PEXELS
O Programa de Apadrinhamento de Uberlândia está em busca de profissionais voluntários para atender as instituições de acolhimento da cidade que recebem crianças e adolescentes em situação de medida protetiva e vulnerabilidade social. Além disso, o programa pede ajuda da população com doações para o fundo emergencial que é destinado às organizações. 

O Programa de Apadrinhamento é uma iniciativa que busca viabilizar a participação de toda a sociedade civil na prestação de auxílio às crianças e adolescentes afastadas de suas famílias e que estão nos serviços de acolhimento. O objetivo é possibilitar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social destas crianças e adolescentes, em condições de liberdade e de dignidade, em consonância com o disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente. 

De acordo com a coordenadora, Lorena Candelori Vidal, atualmente, o programa está em busca de profissionais voluntários com o objetivo de compor uma rede de apoio às cinco instituições de acolhimento que o programa atende. “Precisamos de profissionais que possam contribuir com os atendimentos e fornecer serviços diversos tanto para as crianças e adolescentes quanto para a instituição”, explicou. 

Devido à pandemia do novo coronavírus e a falta de socialização dos atendidos, a maior demanda é por psicólogos. “Essa situação trouxe impactos emocionais e seria muito importante que essas crianças pudessem receber atendimentos psicológicos”, complementou.

Contudo, a intenção é que profissionais de diversas áreas possam contribuir com as necessidades que as instituições demandam. Ainda de acordo com Lorena, um banco de dados será criado para que os interessados sejam acionados sempre que precisar.

“Um exemplo é um pintor que quer contribuir com reformas e manutenções na instituição. Caso seja necessário, nós iremos acioná-lo para executar esse trabalho de forma voluntária e quando ele tiver disponibilidade. Assim como profissionais odontológicos, médicos, psicólogos e outros”, disse.

Os interessados em se cadastrar e apoiar o programa de forma profissional podem entrar em contato pelos números (34) 3232-0223 e (34) 98402-0984 ou pelas redes sociais: Instagram (@apadrinhamento_udi) ou Facebook (Apadrinhamento Uberlândia).

DOAÇÕES

Além do apoio profissional, o Programa de Apadrinhamento solicita ajuda da população com doações para o fundo emergencial que é destinado às instituições de acolhimento de Uberlândia. Esse recurso é utilizado para as necessidades das crianças e adolescentes como, por exemplo, aquisição de roupas, produtos, medicamentos, consultas médicas e outras.

“O apoio da população é muito importante para que as instituições possam continuar oferecendo o mínimo para essas crianças e adolescentes que já sofreram inúmeros impactos em seu desenvolvimento, devido a negligências, violências e abandonos”, ressaltou Lorena Vidal.

Ainda segundo a coordenadora do Programa, durante todos os meses será disponibilizada uma prestação de contas do que foi utilizado do fundo emergencial e para onde as doações foram destinadas. “Queremos passar confiança à população que contribui já que vivemos em uma época de muitos golpes”, continuou.

Os interessados em contribuir com a ação podem doar qualquer valor para a conta abaixo:

Caixa Econômica Federal
Agência: 1537
Conta corrente: 5665-8
CNPJ: 20.734.604/0021-12

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »