18/03/2021 às 20h15min - Atualizada em 18/03/2021 às 20h15min

Denúncia contra o prefeito é rejeitada na Câmara Municipal de Uberlândia

Foram 23 votos contrários ao pedido, que solicitava a instauração de uma Comissão Processante para apurar conduta de Odelmo durante pandemia

FERNANDO NATÁLIO
Uma denúncia por infrações político-administrativas contra o prefeito Odelmo Leão (PP), de autoria do vereador Thiarles Santos (PSL), foi votada e rejeitada na Câmara Municipal de Uberlândia durante a sessão ordinária realizada nesta quinta-feira (18). Foram 23 votos contrários à denúncia, que pedia a instauração de uma Comissão Processante para apurar fatos mencionados no documento. Foram registrados também dois votos favoráveis e uma abstenção. 

Segundo a denúncia, o prefeito teria cometido uma série de abusos. Entre eles estavam: decretar estado de calamidade pública devido à pandemia do coronavírus de forma precoce; limitar os horários de funcionamento das atividades comerciais, provocando maior aglomeração; demorar a abrir leitos de enfermaria e UTI, causando o caos na saúde pública; abusar do poder ao impor o toque de recolher, sendo competência exclusiva do Presidente da República, com aprovação do Congresso Nacional e não fiscalizar adequadamente o transporte coletivo, permitindo diminuição da frota de ônibus e, consequentemente, geração de grande aglomeração, submetendo a população a perigo de contágio da Covid-19.

Na apresentação da denúncia, o vereador autor afirmou que a votação era para decidir sobre o procedimento e não o mérito dela. “O procedimento está correto. Por isso, a denúncia tem que ser aprovada. Só peço que os vereadores façam aquilo para o qual são pagos, que é fiscalizar o Poder Executivo”, disse.

Logo após sua fala, a maioria dos vereadores fez o uso da palavra, sucessivamente, para apontar discordâncias em relação ao teor da denúncia e ao momento em que ela foi feita. Aliado do prefeito Odelmo Leão e líder do governo na legislatura anterior, o vereador Antônio Carrijo (PSDB) afirmou que trata-se de uma denúncia política e que ela não mostra nenhuma ilicitude do Executivo municipal. “Inclusive o decreto de calamidade pública foi referendado pela Assembleia Legislativa”, disse.

Outro integrante da base do Governo Odelmo, o vereador Raphael Leles (DEM) também defendeu as ações do chefe do Executivo municipal durante a pandemia e posicionou-se contrário à denúncia. “Prefeito, eu conheço e confio no senhor. Não estou fazendo crítica ao colega denunciante, mas não foi clareza e nem fundamento que vi nessa peça”, afirmou.

Fora da base governista, a denúncia também foi questionada. A vereadora Amanda Gondim (PDT) fez uso da palavra para criticar o momento em que a denúncia foi apresentada. Para ela, hoje, o combate à Covid-19 em Uberlândia deve ser a prioridade e temas como a vacinação contra o coronavírus devem ter maior atenção.



 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »