17/03/2021 às 09h22min - Atualizada em 17/03/2021 às 09h22min

Crescimento do segmento de salões de beleza reflete preocupação do brasileiro com a aparência

A apresentação pessoal tornou-se fundamental, e os cabeleireiros têm papel fundamental no emocional de seus clientes, contribuindo para a valorização e melhora da autoestima

PUBLIEDITORIAL

Na era das redes sociais, em que filtros são usados para dar uma “ajudinha” na aparência, os salões de beleza continuam, mais do que nunca, a ser o refúgio de quem deseja melhorar visualmente e, por consequência, elevar a autoestima. Os cabelereiros têm um papel fundamental nesta relação.

Mesmo em meio à Covid-19, o mercado de salões de beleza tem crescido. Segundo pesquisa do Euromonitor, existem aproximadamente 500 mil salões de beleza formais no Brasil, com previsão de crescimento de até 4,5% até 2021; 83% desses estabelecimentos são focados no público feminino. A informalidade nesse segmento ainda é grande, estimada em 48%.

O setor de beleza tem se destacado, nos últimos anos, com o maior acesso das pessoas das classes “D” e “E”, principalmente por causa do aumento de renda, que as levou a pagar por essa atividade. Da mesma forma, a chamada classe “C” viu, nas mulheres que passaram a gerar renda, um fator essencial para se investir no lançamento constante de novos produtos.

De acordo com o IBGE, os brasileiros gastam mais com beleza do que com comida. Essa informação é corroborada pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), pois este setor cresceu, em média, 8,2% ao ano na última década, movimentando em torno de R$ 100 bilhões por ano. Ao todo, emprega 480 mil profissionais.

A Região Sudeste lidera o segmento, com 276 mil salões (56% do total do país), e a cidade de São Paulo está à frente desta lista, com milhares de estabelecimentos, localizados desde a periferia até os bairros mais abastados, o que proporciona o acesso mais amplo a esses serviços.

Esse mercado tem se mostrado bastante competitivo, por isso profissionais do ramo e donos de salões de cabeleireiro em São Paulo precisam tomar uma série de atitudes para continuar operando, inclusive para obter vantagens em preços com fornecedores.

A fidelização de clientes é um desses aspectos que geralmente é negligenciada pelos salões. Este processo pode ser realizado por meio da prestação de serviços de excelência, promoções, presentes, descontos e até um banco de pontos para trocar por produtos e serviços.

Uma estratégia que vem sendo bastante usada é a venda de “combos” ou pacotes de serviços, que tornam a ida do cliente recorrente, deixando-o mais próximo e bem à vontade no salão.

Certamente, atitudes como estas poderão elevar o padrão dos salões e abrindo caminho para que haja um sólido trabalho de desenvolvimento deste segmento na economia do país.


*Essa publicação é de responsabilidade do autor e não representa necessariamente a opinião do Diário de Uberlândia.


Notícias Relacionadas »
Comentários »