17/02/2021 às 20h19min - Atualizada em 17/02/2021 às 20h19min

Prefeitura descarta lockdown, mas vai aumentar restrições de funcionamento em Uberlândia a partir de sábado

Anúncio foi feito pelo prefeito Odelmo Leão, em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira (17)

FERNANDO NATÁLIO
“Estamos na fase vermelha e não temos como evitar ações mais radicais”, disse o prefeito (ao centro) I Foto: Valter de Paula/Secom/PMU
O Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 vai aumentar as restrições para funcionamento de atividades econômicas não essenciais (lojas, shoppings, bares, restaurantes e similares, além de clubes) em Uberlândia a partir de sábado (20), devido ao aumento da pandemia do coronavírus na cidade. O anúncio foi feito pelo prefeito Odelmo Leão, em entrevista coletiva junto com membros do Comitê nesta quarta-feira (17) no auditório do Centro Administrativo.

Atualmente, a cidade já tem em vigor restrições que impedem o funcionamento das atividades econômicas não essenciais nos fins de semana e após as 18h de segunda a sexta, assim como a proibição de venda de bebidas alcoólicas nestes períodos. O decreto referente a estas medidas, conforme afirmou o prefeito, será prorrogado até sexta-feira (19).

Na entrevista desta quarta, o prefeito de Uberlândia afirmou que não haverá decreto de lockdown, mas que serão necessárias mais restrições, já que o momento é considerado grave. Nesta quarta-feira (17), foram registradas mais 13 mortes em decorrência do coronavírus no município, segundo o Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). “Nossa decisão já está tomada e o informativo está pronto. Devemos publicá-lo nesta quinta (18) ou sexta (19). Estamos na fase vermelha (a mais restritiva) e não temos como evitar ações mais radicais”, disse o chefe do Executivo municipal.

Ainda de acordo com o prefeito, o decreto só não foi publicado ainda porque Uberlândia vai esperar uma reunião do Estado de Minas Gerais com municípios da região para definir medidas em conjunto. “Mas lembro que cada cidade tem sua peculiaridade. Então, o que é solução para uma, às vezes, não é solução para outra. E Uberlândia já tem sua decisão tomada”, garantiu.

Durante a entrevista, o prefeito também voltou a pedir colaboração da população de Uberlândia para ajudar no combate à pandemia e cobrou, novamente, a abertura de mais leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). “A falta de consciência coletiva na nossa sociedade é grave. Não é porque é jovem que pode aglomerar. Se fizer isso, vai levar a doença para os mais velhos. Peço à população que nos ajude, evitando aglomerações. E volto a pedir que o Hospital de Clínicas da UFU abra leitos. Não posso aceitar que esse hospital não abra mais leitos”, protestou.

Odelmo Leão finalizou sua entrevista afirmando também que relatou ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuelo, as dificuldades que Uberlândia enfrenta neste momento e que pediu para aumentar o número de vacinas a ser enviada nas próximas remessas para a cidade. Questionado pela reportagem do Diário de Uberlândia, durante a entrevista coletiva desta quarta, o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, afirmou que, por enquanto, Uberlândia não tem previsão de novos envios de imunizantes por parte do governo federal.
 
LEITOS
Atualmente, a rede municipal de saúde de Uberlândia tem 102 leitos de UTI para atender pacientes com Covid-19. São 71 leitos no Hospital Santa Catarina e 30 no Hospital Municipal. E a rede vai abrir mais 10 leitos de UTI no Hospital Municipal, segundo revelou o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, durante a entrevista coletiva dos integrantes do Comitê, realizada na tarde desta quarta-feira (17). Desta forma, após sucessivas reativações, a rede municipal chegará a um total de 112 leitos de UTI para pacientes com Covid.

Também segundo o secretário de Saúde, hoje, a rede municipal conta com 142 leitos de enfermaria para pacientes com coronavírus, sendo 37 no Hospital santa Catarina e 105 no Centro de Internação Dr. Hansen.

No momento, segundo afirmou o prefeito Odelmo Leão na entrevista coletiva, Uberlândia tem, hoje, mais de 100 pacientes nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs) aguardando a transferência para UTIs ou enfermarias.




 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »