15/02/2021 às 12h18min - Atualizada em 15/02/2021 às 12h18min

Número de furtos de bicicletas registra queda de quase 30% em 2020

Ocorrências reduziram de 139 em 2019 para 99 no último ano; PM fala sobre medidas para prevenir o crime

DA REDAÇÃO
Uberlândia registrou uma queda de quase 30% no número de furtos de bicicletas em 2020. De acordo com o capitão da Polícia Militar (PM), Elias Alves, a redução é uma consequência de diversos esforços da organização para prevenir os crimes.

Segundo dados divulgados pela PM, em 2019, foram registrados 139 furtos de bicicletas na cidade. Em 2020, esse número caiu para 99. “Tivemos uma redução expressiva em um tipo de crime que é comum de acontecer já que o criminoso aproveita da distração ou ausência da vítima para cometer o delito”, explicou Elias.

O militar também ressaltou que a polícia vem investindo cada vez mais em tecnologia para atuar na prevenção de vários crimes, incluindo o furto. Além disso, a organização busca trabalhar de forma reativa, com repressão qualificada, para identificar e encontrar o autor depois que o fato ocorreu. 

“Um dos motivos para essa diminuição na quantidade dos furtos é a atuação da PM nas atividades de inteligência através de equipamentos tecnológicos que permitem um trabalho mais rápido e eficaz”, destacou.

Por fim, o capitão explicou sobre um trabalho de análise criminal que vem ajudando na eficácia dos patrulhamentos e rondas policiais pelos bairros da cidade. “Nós mapeamos onde os crimes mais acontecem. Por exemplo, tiveram três crimes no bairro tal, nós iremos mapear os dados e características desses delitos para que possamos reprimir”, finalizou.

TODO CUIDADO É POUCO
O furto acontece quando não há violência e ameaças contra a vítima. Geralmente, os autores utilizam da distração ou ausência das mesmas para praticar o crime. Segundo o capitão Elias Alves, é muito comum que os criminosos invadam casas ou condomínios residenciais enquanto não tem nenhum morador.

Foi o que aconteceu com o supervisor de fotografia, Edesio Nunes da Costa Neto, de 32 anos. Ele mora em Uberlândia e durante um feriado prolongado no mês de outubro do ano passado teve sua casa invadida enquanto viajava. O autor levou a bicicleta, avaliada em R$ 2,5 mil, além de equipamentos eletrônicos como notebook, celular e televisão.

“As câmeras de videomonitoramento da rua mostraram que estava passando de casa em casa tocando o interfone ou batendo no portão para ver se tinha alguém. Ele chegou na minha, tocou o interfone, e ao perceber que não tinha ninguém, usou um cobertor para cobrir a cerca elétrica e pulou”, disse.

O criminoso também chegou a quebrar as portas da casa de Edesio para conseguir entrar na sala e depois para sair. “Foi um prejuízo enorme. E fiquei sabendo da situação somente no dia seguinte quando voltei de viagem e vi que minha casa estava toda aberta. Acionei a polícia, mas nunca mais vi minhas coisas e o ladrão nunca foi responsabilizado”, complementou.

Mesmo tendo cerca elétrica na casa, Edesio reforçou a segurança em casa após a ação do criminoso. Para ele, todo cuidado é pouco e já instalou câmeras, sistema de alarme e concertina nos muros para proteger os bens.

O capitão da PM, Elias Alves, concorda com as alternativas do morador de Uberlândia. De acordo com ele, investir em sistemas que possam retardar a ação dos assaltantes é muito importante.

“A pessoa que comete furto não quer ser vista, então uma câmera ou um alarme já assusta, fazendo com que ela desista do crime. Sempre recomendamos que moradores, sejam de condomínio ou que tenham casa de rua mesmo, façam esse tipo de segurança”, concluiu. 




 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »