11/02/2021 às 10h07min - Atualizada em 11/02/2021 às 10h07min

Estado cria comissão para monitorar setor de eventos

Grupo definirá diretrizes para a retomada de atividades em Minas

DA REDAÇÃO
Comissão acompanhará a implementação das ações propostas para o retorno das atividades culturais | Foto: Rafael Motta
A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) publicou, no Diário Oficial do Estado de terça-feira (9), uma nova resolução. O texto regulamenta a criação da Comissão de monitoramento do setor de eventos a partir das orientações do Plano Minas Consciente. Ficam a cargo do Grupo de Trabalho constituído, também, as diretrizes e orientações para o retorno seguro e protocolar do setor.

No âmbito da pandemia de covid-19 em Minas Gerais caberá à Comissão de monitoramento do setor de eventos elaborar proposições para apreciação da equipe do Plano Minas Consciente, propor ações para a retomada segura das atividades do setor de eventos e acompanhar a implementação das ações propostas para o segmento, tendo, como guia, as determinações do Minas Consciente. Como Uberlândia não segue as diretrizes do programa estadual, o monitoramento do setor na cidade não cabe à Secult.

A Comissão de monitoramento é formada pelo secretário de Estado Adjunto de Cultura e Turismo, Bernardo Silviano Brandão Vianna, que também ocupará o cargo de presidente da comissão; pela superintendente de Marketing Turístico da Secult e subsecretária interina de Turismo, Fernanda Fonseca, assumindo também a função de secretária executiva da comissão; e pelo assessor-chefe da Assessoria de Parcerias, Gustavo Mendicino.

Para o secretário de Estado Adjunto de Cultura e Turismo, Bernardo Silviano Brandão, essa iniciativa é mais uma das várias ações do Governo de Minas para viabilizar o retorno seguro das atividades, tendo, como ponto de partida, os protocolos do Minas Consciente.

“Sabemos que o momento exige muita cautela e a autorização de retomada para outras atividades deve ser feita observando todos os protocolos de saúde. Criar uma Comissão de monitoramento é um passo muito acertado para que, juntos, possamos estudar, avaliar e propor as soluções mais seguras para a retomada dos eventos em Minas Gerais, setor importante para a economia, geração de emprego e renda no estado”, pontuou o secretário adjunto.
 
INTEGRANTES
Também integram a Comissão de monitoramento do setor de eventos a partir das orientações do Plano Minas Consciente representantes indicados pelas associações que representam o setor de eventos, como Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-MG), Associação Brasileira de Empresas de Formaturas e Afins (Abeform), Associação Brasileira de Eventos (Abrafesta), Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape-MG) e Associação de Marketing Promocional (Ampro).

Fazem parte do grupo, também, a Associação Mineira de Eventos e Entretenimento (AMEE), Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau (BHCVB), Sindicato das Empresas de Promoção, Organização e Montagem de Feiras Congressos e Eventos de MG (Sindiprom-MG), Sindicato Intermunicipal das Empresas de Buffet de Minas Gerais (Sindbufê-MG) e União Brasileira dos Promotores de Feiras e Eventos de Negócios (Ubrafe).

Novos integrantes poderão ser convocados para subsidiar tecnicamente as discussões e a elaboração dos trabalhos da Comissão de monitoramento, e os encontros serão realizados de acordo com as demandas definidas pelo presidente. A Resolução Secult nº 31 também determina o encerramento das atividades da Comissão, que se dará ao fim da situação de emergência de saúde pública declarada pelo Decreto NE nº 113, de 12 de março de 2020.




 
Notícias Relacionadas »
Comentários »