11/02/2021 às 10h07min - Atualizada em 11/02/2021 às 10h07min

Estado cria comissão para monitorar setor de eventos

Grupo definirá diretrizes para a retomada de atividades em Minas

DA REDAÇÃO
Comissão acompanhará a implementação das ações propostas para o retorno das atividades culturais | Foto: Rafael Motta
A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) publicou, no Diário Oficial do Estado de terça-feira (9), uma nova resolução. O texto regulamenta a criação da Comissão de monitoramento do setor de eventos a partir das orientações do Plano Minas Consciente. Ficam a cargo do Grupo de Trabalho constituído, também, as diretrizes e orientações para o retorno seguro e protocolar do setor.

No âmbito da pandemia de covid-19 em Minas Gerais caberá à Comissão de monitoramento do setor de eventos elaborar proposições para apreciação da equipe do Plano Minas Consciente, propor ações para a retomada segura das atividades do setor de eventos e acompanhar a implementação das ações propostas para o segmento, tendo, como guia, as determinações do Minas Consciente. Como Uberlândia não segue as diretrizes do programa estadual, o monitoramento do setor na cidade não cabe à Secult.

A Comissão de monitoramento é formada pelo secretário de Estado Adjunto de Cultura e Turismo, Bernardo Silviano Brandão Vianna, que também ocupará o cargo de presidente da comissão; pela superintendente de Marketing Turístico da Secult e subsecretária interina de Turismo, Fernanda Fonseca, assumindo também a função de secretária executiva da comissão; e pelo assessor-chefe da Assessoria de Parcerias, Gustavo Mendicino.

Para o secretário de Estado Adjunto de Cultura e Turismo, Bernardo Silviano Brandão, essa iniciativa é mais uma das várias ações do Governo de Minas para viabilizar o retorno seguro das atividades, tendo, como ponto de partida, os protocolos do Minas Consciente.

“Sabemos que o momento exige muita cautela e a autorização de retomada para outras atividades deve ser feita observando todos os protocolos de saúde. Criar uma Comissão de monitoramento é um passo muito acertado para que, juntos, possamos estudar, avaliar e propor as soluções mais seguras para a retomada dos eventos em Minas Gerais, setor importante para a economia, geração de emprego e renda no estado”, pontuou o secretário adjunto.
 
INTEGRANTES
Também integram a Comissão de monitoramento do setor de eventos a partir das orientações do Plano Minas Consciente representantes indicados pelas associações que representam o setor de eventos, como Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-MG), Associação Brasileira de Empresas de Formaturas e Afins (Abeform), Associação Brasileira de Eventos (Abrafesta), Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape-MG) e Associação de Marketing Promocional (Ampro).

Fazem parte do grupo, também, a Associação Mineira de Eventos e Entretenimento (AMEE), Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau (BHCVB), Sindicato das Empresas de Promoção, Organização e Montagem de Feiras Congressos e Eventos de MG (Sindiprom-MG), Sindicato Intermunicipal das Empresas de Buffet de Minas Gerais (Sindbufê-MG) e União Brasileira dos Promotores de Feiras e Eventos de Negócios (Ubrafe).

Novos integrantes poderão ser convocados para subsidiar tecnicamente as discussões e a elaboração dos trabalhos da Comissão de monitoramento, e os encontros serão realizados de acordo com as demandas definidas pelo presidente. A Resolução Secult nº 31 também determina o encerramento das atividades da Comissão, que se dará ao fim da situação de emergência de saúde pública declarada pelo Decreto NE nº 113, de 12 de março de 2020.




 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »