05/02/2021 às 14h14min - Atualizada em 05/02/2021 às 14h14min

Volta às aulas presenciais e fechamento do comércio mobilizam debates na Câmara

Parlamentares apresentaram requerimentos sobre o tema na sessão realizada nesta sexta-feira (5)

FERNANDO NATÁLIO
Quarta sessão ordinária da legislatura 2021/2024 | Foto: Aline Rezende/CMU
Dois assuntos mobilizaram a sessão realizada nesta sexta-feira (5) na Câmara Municipal. A volta às aulas presenciais nas redes municipal e particular de ensino na cidade para a próxima segunda-feira (8) e o anúncio de novas restrições ao comércio anunciado pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 foram os principais alvos dos debates entre os parlamentares nesta quarta sessão ordinária da legislatura 2021/2024. 

Na tribuna da Câmara, o vereador Fabão (Pros) informou ter protocolado uma ação, nesta quinta-feira (4), no Ministério Público, pedindo o adiamento do retorno às aulas presenciais nas escolas de Uberlândia. A solicitação do parlamentar ocorre em um período que a pandemia do coronavírus está em elevação na cidade, com aumento dos números de novos casos, internações e mortes provocadas pela doença.

A volta das atividades presenciais também mobilizou o vereador Murilo Ferreira (Rede), que fez um requerimento para que o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 em Uberlândia faça uma reunião extraordinária, ainda nesta sexta-feira, revogando a decisão de volta às aulas presenciais na próxima segunda-feira. “Peço esse adiamento, pelo menos, até o final de fevereiro, para que possa ser feita uma nova avaliação do cenário”, disse.
 
FECHAMENTO DO COMÉRCIO
Os parlamentares também discutiram as novas medidas anunciadas pela Prefeitura, que prevê o fechamento do comércio nos fins de semana e após as 18h de segunda a sexta para conter a pandemia da covid-19.

O vereador Leandro Neves (PSD) pediu que o Comitê de Enfrentamento à Covid permita, pelo menos, que as pessoas que estiverem com casamentos marcados para esse período de restrição possam realizá-los. As medidas restritivas informadas pelo Comitê serão válidas por dez dias, a partir desta sexta.

Mudanças nas deliberações do Comitê também foram solicitadas pelo vereador Ronaldo Tannus (PL), que afirmou que o setor de eventos na cidade “não está aguentando mais as restrições”.

Outro setor afetado pelas deliberações do Comitê que ganhou espaço nos debates dos parlamentares foi o comércio.

“Hoje (sexta-feira, dia 5), é o quinto dia útil do mês, data em que muitas pessoas vão receber seus salários. Portanto, esse fim de semana seria o que movimentaria o comércio. Mas, com o fechamento válido a partir desta sexta, isso não vai ocorrer. Essa medida restritiva poderia ter sido programada para o próximo fim de semana”, afirmou o vereador Antônio Augusto 'Queijinho' (Cidadania). “Por isso, peço ao Comitê que reveja essa decisão”, completou.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »