15/01/2021 às 12h04min - Atualizada em 15/01/2021 às 12h04min

Uberlândia recebe 1º Laboratório Contra Lavagem de Dinheiro do interior de MG

Objetivo da estrutura é reforçar a apuração do caminho do dinheiro ilegal e as investigações contra crimes tributários

FERNANDO NATÁLIO
LAB-LD terá computadores de ponta I Foto: Divulgação
Uberlândia tem, desde o início desse mês, um Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB/LD). A unidade fica em um prédio na avenida Rondon Pacheco, onde também está instalado o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Uberlândia. Essa é a terceira estrutura desse tipo em Minas Gerais e a primeira do interior do estado. O objetivo é reforçar a apuração do caminho do dinheiro ilegal e fortalecer as investigações contra crimes que afetam a ordem tributária.

Segundo o promotor Daniel Marotta, responsável pela Promotoria de Crimes Tributários, além de sua promotoria, o Laboratório Contra Lavagem de Dinheiro atenderá a Coordenadoria Regional de Ordem Econômica e Tributária. “E, claro, todas as outras promotorias que precisarem desse trabalho também terão essa estrutura à disposição”, explica o promotor da 17ª Promotoria de Justiça de Uberlândia, lembrando que a abrangência do laboratório será para regiões Triângulo Norte e Sul e Noroeste de Minas.

Ainda de acordo com Daniel Marotta, o Lab-LD utiliza softwares capazes de fazer cruzamentos de informações em investigações complexas que demandam quebras de sigilos bancário, telefônico, telemático e fiscal, além de análises de documentações de cartórios e informações sobre bens de terceiros.

“São análises que, para serem feitas à mão, são inviáveis. Com o Laboratório, teremos computadores de ponta, com capacidade de processamento 100 vezes maiores que a de um equipamento normal, que tornam essa investigação muito mais rápida e eficiente. Além disso, contamos com uma equipe de agentes treinados e altamente capacitados para esse tipo de serviço”, disse o promotor.

Ainda de acordo com Daniel Marotta, o LAB-LD terá 10 computadores para que os trabalhos de investigação dos agentes sejam feitos. O Laboratório tem a participação do Ministério Público, Receitas Estadual e Federal e Polícia Militar.
 
ESTRUTURA
O Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro (LAB/LD) de Uberlândia teve um custo de R$ 4 milhões provenientes de recursos recuperados pelo Gaeco e pela Coordenadoria Regional de Ordem Econômica e Tributária. A estrutura ocupa um dos três andares da unidade localizada na avenida Rondon Pacheco, onde já funciona o Gaeco.

A nova estrutura reforçará o combate de diversos tipos de lavagem de dinheiro, como o uso de laranjas, que ocultam a identidade do real proprietário de bens e de agente ou beneficiário de transações comerciais ou financeiras, empresas de fachada ou fictícia e venda fraudulenta de imóveis, entre outros.

“Antes, tínhamos uma grande limitação, pois dependíamos das perícias feitas nos dois laboratórios de Belo Horizonte, da Polícia Civil e do Ministério Público, que tinham grande demanda e, por isso, resultavam em respostas demoradas”, explica o promotor Daniel Marotta, responsável pela Promotoria de Crimes Tributários. “Mas, agora, esse Laboratório em Uberlândia, com esta tecnologia, vai apoiar as investigações e aumentar a rapidez e a efetividade na apuração dos crimes de lavagem de dinheiro e na reparação de danos causados ao Estado ou mesmo aos demais contribuintes”, destacou o promotor.



 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »