15/12/2020 às 12h29min - Atualizada em 15/12/2020 às 12h29min

Mais de 80% dos consumidores devem comprar presentes de Natal

Smartphones perderam o primeiro lugar de intenção de presentes para os eletroportáteis, aponta pesquisa da CDL Uberlândia

SÍLVIO AZEVEDO
Dono de ótica está otimista para o período de vendas natalinas | Foto: Divulgação
Mesmo em um ano que o país sofreu com a pandemia da Covid-19, que ocasionou o fechamento de lojas e comércios e atingiu diretamente a economia, o Natal não passará em branco para 81% dos consumidores em Uberlândia. É o que aponta uma pesquisa encomendada pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) local.

De acordo com a superintendente da CDL Uberlândia, Lécia Queiroz, com um cenário positivo em relação à opinião do consumidor, a expectativa é que, no mínimo, consiga recuperar o período que o comércio ficou parado, sem condições de abrir todos os dias. A expectativa é de pelo menos recuperar o que não foi alcançado ao longo do ano. 

“Uma pesquisa nacional da CNDL que trouxe a intenção de compra de produtos até R$ 150. Acho interessante em se falando em um cenário como esse, que talvez a gente pense que era momento de comprar coisas de valor menor. Achei que foi diferente, pois ano passado foi na faixa de R$ 100, R$ 120. Talvez não comprem muitos presentes, mas pretendem gastar R$ 150 aquela compra feita”, comentou Lécia. 

Entre ações da CDL para incentivar o consumo estão a campanha natalina e o fortalecimento das ações, com treinamentos e palestras sobre estratégias de vendas. 

“A gente entrou com uma campanha de Natal gratuita para o ponto de venda. O empresário não precisou fazer nenhum investimento. Junto, passamos várias ações de treinamento, a live do Ciro Bottini para falar como vender mais e utilizar estratégias de venda. Disponibilizamos a ferramenta e aplicativos de vendas online totalmente gratuitos nesse período. Temos feito uma série de ações e percebemos que há a contrapartida do empresário no sentido de planejamento de promoções, fazer novas ações dentro do ponto de venda para atrair mais o cliente”. 

PREFERÊNCIAS
A pesquisa da CDL trouxe uma perspectiva de preferência dos consumidores na hora de comprar presentes esse ano. Diferente de anos anteriores, os smartphones (33%) perderam a ponta para os eletroportáteis (81%). De acordo com Lécia, pode ser por causa da pandemia.

“Diferente dos outros anos, que era muito a questão de smartphones, tablets, esse ano a intenção pelos eletroportáteis é porque ele está ficando muito em casa, vivenciando mais o ambiente familiar doméstico. Acaba que vai dando falta e vê a importância de facilitar a vida dele no ambiente”.
 
A compra nas lojas físicas será o meio mais buscado pelos consumidores, segundo a pesquisa, com 70% de intenção, enquanto outros 30% tem a intenção de fazer compras pela internet.

 
“Ao contrário do período de Black Friday que os consumidores querem comprar pela internet, no Natal, até por conta do prazo de entrega, que o tempo é um pouco maior e o atraso também, a maioria dos consumidores preferem comprar presencialmente. É outra oportunidade que o empresário tem para trabalhar o consumidor, criando combos e utilizando melhor seu recurso e comprar até um pouco mais do que ele estava pretendendo”, explicou a superintendente da CDL.

Para o proprietário da Ótica Perilli, no Uberlândia Shopping, Humberto Jardim, o momento está favorável para as lojas recuperarem o faturamento perdido durante o fechamento dos shoppings na pandemia. “Estamos muito entusiasmados porque deu uma resposta tão grande que dobramos o faturamento. Estávamos desse julho capengando, tudo devagar e praticamente cobrindo os custos e, a partir de novembro, deu uma arrancada muito boa. Acreditamos em um crescimento de 25%”, disse o lojista. 

E o crescimento do movimento nos shoppings também é notado pelo empresário, que busca atrair os consumidores através de promoção nos produtos da loja que variam de 5% a 15% de desconto nos pagamentos à vista, seja no débito, dinheiro ou pelo Pix.

“Acreditamos que venhamos a vender mais óculos de sol, pois vem o verão em janeiro e as pessoas estão saindo de férias e elas procuram uns óculos que elas procuram em termos de custo e um atendimento por excelência, que é a união no produto certo, com preço certo e um atendimento de qualidade”, finalizou. 

 

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »