12/11/2020 às 16h14min - Atualizada em 12/11/2020 às 16h14min

População de baixa renda é mais afetada pela Covid-19 em Uberlândia

Levantamento feito pela UFU mostra que incidência da doença é maior na região oeste da cidade

BRUNA MERLIN
Base para estudo foram casos confirmados e notificados em 20 bairros da cidade entre março a junho | Foto: Daniel Peixoto
Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) indicou que os bairros ocupados por população de baixa renda são os mais afetados pela Covid-19 em Uberlândia. Segundo um dos autores do estudo, o discente Eduardo Nunes, o resultado reforça a ideia de que a doença afeta mais a vida de pessoas com poucas condições financeiras.

O levantamento foi feito com base nos casos de coronavírus confirmados e notificados na cidade entre os meses de março a junho, que foi de 1.740 pessoas. Esses dados foram obtidos através do Ministério da Saúde pelo DataSUS.

Com esses dados em mãos, os pesquisadores avaliaram a faixa etária, população e renda dos moradores de 20 bairros do município. Foram utilizadas informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para traçar os dados desses fatores socioeconômicos e demográficos. 

“Dos bairros analisados, 11 têm renda per capita média abaixo de um salário mínimo, oito com renda per capita média de até dois salários mínimos e apenas um com renda per capita média acima de dois salários mínimos”, explicou Eduardo. 

O bairro Jardim Brasília, que demonstrou uma renda per capita média de R$ 979,63, tem o segundo maior número de casos confirmados entre o período analisado, com 77 pessoas contaminadas. O Jardim Canaã que tem a menor renda per capita do município, de R$ 768,75, registrou 60 casos de infectados pelo vírus. Veja a tabela abaixo.


A pesquisa também analisou a quantidade de pessoas contaminadas por setores do município. A região oeste foi a mais afetada, com destaque para o Jardim Canaã (60 casos), Jardim Europa (55), Luizote de Freitas (48) e Mansour (44). O segundo com mais registros foi o setor norte, principalmente os bairros Jardim Brasília (77) e Presidente Roosevelt (59).

Nos setores leste e central, a concentração de casos foi nos bairros Santa Mônica (84), Morumbi (51), Osvaldo Resende (75) e Centro (50). Os bairros São Jorge (52) e Shopping Park (32) foram os destaques de casos registrados de Covid-19 no setor sul.

INCIDÊNCIA E FAIXA ETÁRIA
Ainda de acordo com o pesquisador, também foi analisada a incidência da enfermidade a cada 1 mil habitantes nos bairros. “É possível ver que as maiores taxas se tratam de bairros com uma baixa renda per capita”, complementou. 

Na avaliação, as maiores taxas por bairro foram: Jardim Europa (10,9), Shopping Park (7,8), Jardim Holanda (7,2), Centro (6,9), Mansour (6,1), Jardim Karaíba (5,8) Jardim Brasília (5,3), Taiaman (5,2), Chácaras Tubalina e Quartel (5,0) e Panorama (4,9).

Em relação às faixas etárias de pessoas atingidas pela doença, foi possível constatar os seguintes resultados: entre 20 a 29 anos (23,2%), 30 a 39 (27,7%), 40 a 49 (22,5%), 50 a 59 anos (13,7%) e 70 a 79 (5,7%).

OPORTUNIDADE
Eduardo Nunes acredita que a pesquisa é uma boa oportunidade para mostrar qual a real situação da população da cidade, principalmente dos moradores que têm uma baixa renda. “É fácil comprovar que a pandemia afeta as pessoas mais pobres e é uma realidade de Uberlândia”, disse.

Por fim, o discente defendeu que o estudo pode auxiliar na aplicação de novas políticas públicas para proteger essa população afetada.

“É importante que esses levantamentos cheguem aos representantes municipais porque ficou comprovado que as diferenças socioeconômicas geram grande impacto nos cidadãos”, finalizou. 
 


 

VEJA TAMBÉM:

170 novos casos do coronavírus são confirmados em Uberlândia


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »