22/10/2020 às 09h16min - Atualizada em 22/10/2020 às 09h58min

Mesmo com retorno, setor de eventos acredita que recuperação de renda será lenta

Trabalhadores de Uberlândia ficaram mais de sete meses parados e acumularam diversas dívidas; pequenos eventos podem voltar a acontecer a partir de sábado (24)

BRUNA MERLIN
Empresa DaDo de música e entretenimento registrou perda de 70% da receita | Foto: Divulgação

Após sete meses contabilizando prejuízos devido aos cancelamentos e remarcações de eventos em razão do novo coronavírus, os empresários do setor em Uberlândia poderão retomar as atividades de forma gradativa, a partir de sábado (24), conforme a nova liberação feita pela Prefeitura de Uberlândia. Entretanto, o retorno ainda não será suficiente para a recuperação de toda a renda perdida desde o início da pandemia.
 
A empresária Daniela Carla Silva Santos é uma das sócias da empresa DaDo, que é responsável pelo serviço de música e entretenimento de eventos, principalmente de casamentos. Segundo ela, cerca de 70% da receita da empresa foi cortada desde o mês de março deste ano.
 
“Irá demorar um bom tempo para recuperarmos essa renda perdida. Os eventos que irão acontecer agora nos últimos dois meses do ano serão para sobrevivência pessoal mesmo. E mais de 60% dos eventos do ano que vem são os reagendados desse ano, sendo assim, não entrará receita nova”, explicou ela.
 
A situação é semelhante com a de uma empresa de buffet da cidade. A proprietária do negócio, que preferiu não se identificar, registrou um prejuízo de quase R$ 300 mil nos últimos meses. Ela acredita que essa perda será recuperada somente em três ou quatro anos de trabalho duro.
 
Contudo, a empresária tem a expectativa de que, com a liberação dos eventos, os clientes fiquem mais seguros e comecem a contratar festas já para o ano que vem. Além disso, ela espera assinar alguns contratos para confraternizações de empresas que costumam acontecer em dezembro.

 
“Esperamos que esse cenário melhore a cada dia, mas não será fácil e temos muito trabalho pela frente. Mas, infelizmente, este ano já está meio que perdido”, destacou.

 
Tentativa de sobrevivência
Os empresários, fornecedores e trabalhadores do setor de eventos se sentiram muito injustiçados com as decisões divulgadas pelo Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19. A principal indignação era porque bares e restaurantes, que apresentam grande potencial para promover aglomerações, estavam liberados para funcionar presencialmente e também promover festas e confraternizações sem a devida fiscalização.
 
Em meio às dívidas e demissões em massa, alguns empresários desobedeceram a regra que não permitia a realização de eventos. A categoria alega que foi necessário promover os serviços em algumas ocasiões por uma questão de sobrevivência de famílias e das próprias empresas já que o Município não ofereceu nenhum tipo de apoio.
 
É o caso da proprietária do buffet que não quis se identificar. A empresa chegou a realizar duas cerimônias pequenas de casamentos, respeitando todas as orientações de segurança estipuladas pelo Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, a empresária também promoveu outros eventos menores nas cidades de Prata e Araguari.

 
“Eram eventos que não puderam ser cancelados por diversos motivos envolvendo os noivos e familiares. Sendo assim, realizamos com todos os cuidados necessários porque somos uma empresa séria e nunca iremos promover eventos que afetem a segurança de diversas pessoas”, complementou.

 
A zootecnista Marília Rezende Carvalho, de 28 anos, decidiu não reagendar o casamento no civil que aconteceu no último fim de semana. Segundo ela, foi realizada uma mini cerimônia somente com familiares e, em seguida, os noivos fizeram uma comemoração pequena em casa.
 
“Convidamos somente pessoas que já tínhamos contato durante a pandemia. Uma coisa bem simples para não passar em branco. O casamento religioso nós decidimos remarcar para março do ano que vem e aí sim será realizada uma festa maior, caso essa situação já tenha passado”, ressaltou ela.
 
Para a jovem, existem sim possibilidades de realizar eventos que não coloquem em risco a segurança das pessoas. Marília acredita que diversas empresas do setor oferecem muito mais conforto e segurança do que bares e restaurantes que foram liberados antes.
 

“Acredito também que deve haver consciência de todos e não somente por parte das empresas. Convidados e os próprios organizadores devem ter responsabilidade neste momento”, concluiu.

 
LIBERAÇÃO
Depois de diversas reuniões e insistência por parte do grupo de empresários do setor de eventos, o Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 decidiu liberar de forma gradativa a realização de algumas celebrações como aniversários, casamentos e confraternizações empresariais, a partir do próximo sábado. Contudo, algumas regras devem continuar sendo seguidas tanto pelas empresas quanto pelos clientes.
 
De acordo com as normas, caberá aos contratantes informar a realização do evento ao Município através do endereço de e-mail
[email protected] com no mínimo sete dias de antecedência. A ocupação de cada celebração deve ser restrita de 30 pessoas, excluindo os prestadores de serviço.
 
O funcionamento fica restrito a espaços destinados à realização de eventos ao ar livre ou com fechamento superior e abertura lateral como varandas, tendas e afins. As festas devem ter duração máxima de 4h, com encerramento obrigatoriamente até as 23h.
 
É necessário a disponibilização de álcool em gel e espaços próprios para higiene das mãos para os organizadores dos eventos e convidados. A utilização de máscara de proteção individual também é obrigatória.
 
A efetiva fiscalização e cumprimento das normas de segurança são de responsabilidade de todos os prestadores de serviços envolvidos na realização do evento, assim como do contratante. Cabe aos prestadores de serviço comunicar aos contratantes que, em caso de descumprimento das regras estabelecidas para enfrentamento e prevenção à Covid-19, o evento será imediatamente encerrado.
 
Outras regras e orientações sobre a realização de eventos na cidade podem ser conferidas no site da Prefeitura de Uberlândia.
 
VEJA TAMBÉM:

Nova deliberação permite retomada gradual de eventos em Uberlândia


Setor de eventos cobra retorno de pequenas atividades em Uberlândia

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »