21/10/2020 às 09h05min - Atualizada em 21/10/2020 às 09h05min

UFU alcança nota máxima do Enade em três cursos de graduação

Engenharia civil, florestal e nutrição receberam nota 5; quatorze cursos tiveram nota 4 e outros sete alcançaram nota 3

DA REDAÇÃO
A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) obteve bons registros nos resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2019 que foram divulgados nesta terça-feira (20). Dos 24 cursos avaliados, 17 obtiveram notas 5 e 4.
 
De acordo com o levantamento, os cursos avaliados na nota máxima 5 foram: engenharia civil, engenharia florestal e nutrição. Quatorze tiveram nota 4 e os outros sete alcançaram a nota 3. Veja abaixo os resultados mais detalhados.
 
"A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) foi muito bem no Enade. Nós conquistamos resultados melhores, se comparados com anos anteriores, mas claro que temos que avançar", destacou o pró-reitor Armindo Quillici Neto.
Ao todo, 435 mil estudantes de 1.225 instituições de todo Brasil foram inscritos. As provas foram aplicadas em 1.063 municípios e contaram com a presença de 389 mil concluintes de cursos de graduação.

Também foram divulgados os resultados dos Indicadores de Qualidade da Educação Superior: o Conceito Enade e o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD). Esses indicadores subsidiam políticas públicas e processos de supervisão e regulação da educação superior.

O primeiro é calculado a partir dos desempenhos dos estudantes concluintes dos cursos de graduação no Enade. Na edição 2019 do exame, o Conceito Enade sinalizou que, apesar de serem em menor número, os cursos das instituições públicas apresentaram desempenhos maiores que os das instituições privadas. Dos cursos enquadrados na faixa 5 desse indicador, 81,4% são de instituições públicas, enquanto 18,6% correspondem a instituições privadas.

O IDD busca mensurar o valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes. O objetivo é aferir o quanto a graduação contribuiu para a formação do estudante. Para isso, o cálculo considera os desempenhos no Enade e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O Enem serve, justamente, como subsídio para uma análise das condições de desenvolvimento do estudante, no momento que ingressa na graduação. Desde 2014, o IDD é calculado para cada pessoa que tenha participado dos exames, recuperando os resultados do estudante a partir do número do CPF.


 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »