21/09/2020 às 10h29min - Atualizada em 21/09/2020 às 10h46min

Juíza Édila Manosso falece após cerca de 100 dias internada em Uberlândia

Magistrada foi infectada pela Covid-19 e, após ser curada, faleceu em decorrência de outras complicações de saúde

DA REDAÇÃO
A juíza Édila Moreira Manosso, da 2ª Unidade Jurisdicional da comarca de Uberlândia, faleceu aos 72 anos neste domingo (20) após apresentar complicações de saúde e ficar internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por cerca de 100 dias. A informação da morte foi confirmada pela Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis) em nota publicada no site oficial. 

O Diário de Uberlândia apurou com colegas da magistrada que ela foi infectada pela Covid-19, mas chegou a se recuperar da doença após um período de internação na UTI. No entanto, após a recuperação, ela apresentou outros problemas de saúde e chegou a passar por uma cirurgia, mas não resistiu e acabou falecendo.

Ainda de acordo com a Amagis, ela foi velada e cremada ainda neste domingo em uma cerimônia apenas com os familiares.


CARREIRA
Édila Moreira Manosso atuava no Juizado Especial de Uberlândia antes do falecimento. A magistrada também foi professora de Direito e chegou a atuar na Vara da Infância e da Adolescência e na Magistratura Eleitoral. Ela ainda foi inspetora de ensino na Delegacia Regional em Uberlândia. 

O Fórum de Uberlândia decretou luto oficial de cinco dias em razão do falecimento de Édila Moreira Manosso. A comarca de Uberlândia também determinou o hasteamento das bandeiras a meio mastro no Fórum e nas demais unidades do Fórum Palácio da Justiça Rondon Pacheco.


* Texto atualizado às 15h08 desta segunda-feira (21) para acréscimo de informações

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »