23/05/2020 às 17h06min - Atualizada em 23/05/2020 às 17h06min

Instituto Ipê de Uberlândia concorre a prêmio nacional

ONG participa de projeto de mentoria para fortalecer o crescimento da organização

BRUNA MERLIN
Instituto tem projetos voltados para educação ambiental na cidade | Foto: Reprodução/Facebook
Organizações não Governamentais (ONGs) e empresas que geram impacto social de diversas regiões do Brasil estão tendo a oportunidade de receberem mentorias gratuitas para aumentar suas chances de crescimento e reconhecimento na sociedade. O Instituto Ipê Cultural de Uberlândia participa pela primeira vez e concorre a prêmio através de uma competição estabelecida pela ação.

O projeto, que é desenvolvido pela Baanko, uma organização de Belo Horizonte que promove desenvolvimento e celeridade a novas oportunidades do mercado social, existe há cinco anos e devido à pandemia do novo coronavírus está sendo realizado de forma remota pela primeira vez neste ano. Aproximadamente 60 mentores voluntários do Brasil, Portugal e África estão empenhados no programa para auxiliar e ajudar as ONGs e empresas interessadas.

As mentorias começaram no dia 9 de maio e tem duração de aproximadamente quatro semanas. As aulas são baseadas e programadas de acordo com cada problema que as organizações buscam solucionar. Alguns dos temas abordados são estratégias de marketing e comunicação, finanças e recursos humanos.

O consultor de marketing e negócio de impacto do Sebrae Minas, Ariel Machado Sanchez, é um dos mentores que auxilia diversas ONGs e empresas do país com outros profissionais do mundo. Ele, que participa pela primeira vez do projeto, oferece workshops e oficinas de marketing e estratégia de negócio.

“Todo esse programa é pensado para acelerar o crescimento de atuação dessas organizações. Trabalhamos com questões específicas para que elas saibam divulgar e gerenciar seu serviço ou produto social”, disse.

AGILIDADE DO CONHECIMENTO
O Instituto Ipê Cultural de Uberlândia está participando pela primeira vez de um projeto como esse. O presidente da instituição, Antônio Pedro Costa Neto, conta que nos 14 anos de atuação da ONG nunca recebeu tanto conhecimento em tão pouco tempo que irá ajudar o desenvolvimento da instituição.

“Somos direcionados 24 horas por dia. Recebemos mentorias que nunca tivemos em todos esses anos do instituto. A colaboração e aprendizagem são impecáveis e todo projeto social pequeno deve participar para abrir novas fronteiras”, detalhou.

Representantes do Ipê Cultural estão recebendo mentorias de diversos profissionais do Brasil e de outros países. Os assuntos retratados com a organização são desenvolvimento humano, marketing e outros. 

“É uma experiência única. Além de receber um compilado de conteúdos em pouco tempo, nós temos a oportunidade de conhecer novos projetos e selar amizades”, finalizou o presidente do instituto.

COMPETIÇÃO
Todo o projeto é regado por uma competição entre as ONGs e empresas participantes. Toda semana, as organizações são avaliadas por bancas que irão analisar como está sendo feita a solução dos problemas e quais alternativas foram encontradas pelas mesmas para resolver os empecilhos encontrados. As instituições com menos pontos são desclassificadas do processo.

Nesta sexta-feira (22), o Instituto Ipê Cultural participou da semi final da competição. Agora, a organização aguarda a divulgação do resultado para saber se participará da final que está marcada para acontecer no dia 30 de maio.*

O prêmio é custeado pela rede de parceiros da Baanko e consiste na disponibilização de recursos para que as soluções discutidas e projetadas durante as mentorias sejam aplicadas de forma real no trabalho da organização vencedora. 


* ERRATA: O Diário de Uberlândia errou a informar que a Instituição Ipê Cultural era finalista da competição. A informação foi corrigida às 20h29 deste sábado (23). 





 

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »