21/05/2020 às 18h19min - Atualizada em 21/05/2020 às 22h24min

Comissão faz reunião de instrução do vereador Silésio Miranda

Parlamentar teve mal-estar durante o depoimento e a audiência foi suspensa depois de mais de 12 horas de duração

SÍLVIO AZEVEDO
Audiência começou por volta das 10h e se estendeu até a noite desta quinta-feira (21) | Foto: Aline Rezende/CMU/Divulgação
O vereador afastado Silésio Miranda (PT) compareceu à audiência de instrução realizada nesta quinta-feira (21) na Câmara Municipal pela comissão processante que analisa o pedido de cassação contra o vereador. Silésio responde por quebra de decoro parlamentar após ser denunciado por utilização de notas ideologicamente falsas para recebimento da verba indenizatória. A investigação faz parte da Operação Má Impressão, movida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Foram arroladas 16 testemunhas, sendo seis da comissão e 10 de defesa, e o promotor Daniel Marotta Martinez, como informante. Silésio estava acompanhado de três advogados e uma assessora jurídica.

Antes do início dos depoimentos, a defesa fez uma série de questionamentos sobre os trabalhos da comissão e ainda argumentou que o depoimento do promotor não havia sido informado. Todos os pedidos foram indeferidos pela presidente, Dra. Jussara Matsuda (PSL).

O primeiro a falar foi o promotor, que explicou sobre as investigações e respondeu a questionamentos de membros da comissão e da defesa.

O clima chegou a ficar tenso quando o vereador, insistentemente, questionou um suposto cerceamento da defesa. A sessão foi suspensa por alguns instantes para uma reunião entre comissão, advogados de defesa e Procuradoria da Casa para discutir a continuação dos trabalhos de forma mais harmoniosa.

Em seguida, foram convocadas as seis testemunhas da comissão, que não estavam presentes, porém justificaram as ausências. Logo após, começaram a ser ouvidas as testemunhas arroladas pela defesa, entre eles o ex-assessor de Silésio, Eduardo Quintal e o perito do Gaeco, Marcelo Alves dos Santos Silva.


A audiência de instrução se estendeu durante toda a tarde, ultrapassando 9 horas com o depoimento das demais testemunhas e do acusado. Até a publicação, a reunião ainda não havia sido finalizada.

PM
A Polícia Militar (PM) foi acionada na Câmara pela defesa do vereador afastado no início da noite. Segundo as informações repassadas pelo departamento de Comunicação da Casa, foi solicitada à comissão uma nova data para que fosse ouvida outra testemunha que mudou recentemente para Belo Horizonte e integrava o Gaeco.

Como o pedido teria sido negado pela presidente da comissão, comprometendo a ampla defesa segundo os advogados, os militares foram acionados para registro de boletim de ocorrência. 

SUSPENSÃO 
Após a presença da PM, a audiência foi retomada e, por volta das 21h45, o vereador sentiu um mal-estar no momento em que prestava depoimento. A audiência já durava mais de 12 horas e foi suspensa pela presidente Dra Jussara, que determinou o encaminhamento de Silésio a uma unidade de saúde.

A reunião foi remarcada para a continuidade da oitiva do vereador para a próxima segunda-feira (25), às 8h. 










 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »