20/05/2020 às 16h02min - Atualizada em 20/05/2020 às 16h02min

Investimento em imóveis se torna bom negócio em meio à crise

Queda da taxa de juros para financiamentos está entre os motivos, apontam especialistas de Uberlândia

BRUNA MERLIN
Após reabertura, Brasal Incorporações busca estratégias para conquistar clientes | Foto: Brasal Incorporações/Divulgação
O investimento em imóveis, seja para fins de moradia ou de rentabilidade, tem se tornado uma opção atrativa no momento de crise mundial e nacional causada pela pandemia do novo coronavírus. Especialistas do setor imobiliário de Uberlândia estão otimistas com o cenário, que é considerado propício para fechar negócios devido às diversas oportunidades que surgiram diante da instabilidade econômica.

Segundo o professor de economia Fábio Terra, a situação gerou condições favoráveis ao setor. Entre elas estão a queda da taxa de juros para financiamentos, carência do prazo de pagamento da entrada e condições mais oportunas de crédito imobiliário com bancos.

No começo deste ano, a Taxa Selic, que representa os ajustes médios de financiamentos, estava a 4,25%, e agora está em torno de 3%. A previsão é que o percentual continue caindo nos próximos 40 dias. Com isso, os financiamentos imobiliários se tornam uma dívida mais barata a longo prazo.

 
“Nós chamamos esse momento de economia baixa que é quando oportunidades são vistas para que a população possa investir. É o caso do setor imobiliário em que percebemos circunstâncias positivas tanto para os compradores, quanto para as imobiliárias ou construtoras”, explicou Terra.

O professor de economia afirma que, em uma comparação com todos os polos econômicos afetados pela crise da pandemia, o setor imobiliário foi o menos impactado. Mas, o docente acredita que ainda é cedo dizer que o segmento está em expansão enquanto os outros fogem dessa direção.

“Ainda não é possível dizer que esse setor não está sofrendo com a crise, mas ele está conseguindo se sair melhor do que os outros. Toda a situação é imprevisível e pode ser que ela se reverta daqui a meses”, complementou.

BENEFÍCIOS
Descontos e outros benefícios oferecidos pelas imobiliárias ou construtoras têm facilitado o fechamento de negócios. O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-TAP), Efthymios Panayotes Emmanuel Tsatsakis, afirma que diversas empresas do setor em Uberlândia estão entrando em campanhas de promoções para reativar as vendas e chamar a atenção de clientes.

Ainda de acordo com o representante do sindicato, os descontos no valor final do imóvel estão variando entre R$ 1 mil e R$ 10 mil. Além disso, as empresas da cidade estão apostando em prolongar o prazo para o pagamento do valor de entrada da propriedade imobiliária.

 
“Isso é comum quando a economia oferece oportunidades. Devido ao decreto de isolamento social, essas empresas ficaram paradas e tiveram queda no número de vendas. Com o retorno, elas estão apostando em alternativas para fechar os negócios”, disse o presidente.

É o caso da construtora Brasal Incorporações em Uberlândia. As atividades de compra e venda foram interrompidas por 30 dias após o decreto de distanciamento social. Agora, a empresa busca estratégias para conquistar os clientes em potencial da cidade.
“Nós suspendemos os serviços até a segunda quinzena de abril e tivemos uma queda de 40% do faturamento previsto e cerca de 20% na procura por imóveis. Retornamos e houve um aumento de interesse de busca devido aos descontos e benefícios oferecidos”, detalhou o diretor da empresa Guilherme Sacramento.

Ainda segundo o diretor da Brasal, cerca de 25% dos atendimentos, desde a retomada dos serviços, foram de novos clientes. Os outros 75% foram de pessoas que já haviam se interessado por imóveis da empresa e retornaram devido às oportunidades econômicas.

“Estamos otimistas e acreditamos que o cenário vai melhorar daqui para frente mesmo não sabendo o que está por vir. Continuaremos apostando nos fatores favoráveis para continuar movimentando a economia do setor”, finalizou.



















 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »