23/02/2020 às 09h02min - Atualizada em 23/02/2020 às 09h02min

Carnaval volta a movimentar economia de Uberlândia

Com diversidade de eventos, cidade recupera atenção de foliões

SÍLVIO AZEVEDO
Foliões aproveitam programação na Praça Clarimundo Carneiro | Foto: PMU/Divulgação
Por anos o destino de muitos uberlandenses durante o Carnaval eram as folias de cidades da região, como Tupaciguara, Prata e Campina Verde. Muito disso por causa da falta de opções locais e a gratuidade das festas realizadas fora.

Com a crise econômica, muitas cidades diminuíram o tamanho dos investimentos no Carnaval e, em 2019, grande parte nem realizou a festa.

Mas, Uberlândia segue o caminho inverso. Diferente de outros anos, muitos eventos têm atraído moradores de outras cidades, fazendo com que os próprios cidadãos uberlandenses (e uberlandinos) aproveitem as opções.

A cidade tem chamado a atenção com eventos de pré-carnaval. Um bom exemplo é a programação realizada pela Prefeitura de Uberlândia, que atraiu cerca de oito mil pessoas em três dias de festas gratuitas no Mercado Municipal e Praça Clarimundo Carneiro, assim como o “Pré-carnaval do Dão”, evento particular que trouxe a banda baiana É o Tchan para se apresentar para seis mil pessoas no Camaru no sábado passado.

O produtor Djalma Filho, responsável pela organização do evento no Camaru, diz que o sucesso de carnavais em grandes cidades com menos tradição fez com que a comunidade local se interessasse mais pelas atrações oferecidas em Uberlândia.

“Acho que muito por conta do enorme crescimento do Carnaval de BH. Todo mundo pensou: ‘Se BH não tem nada, não tem praia e está acontecendo, então é possível que aconteça aqui também’. Pelo menos de dois anos para cá o sentimento que existe é que há um movimento de querer um carnaval em Uberlândia também”.

E os resultados têm aparecido, tanto que Djalma está na produção de mais dois eventos neste período. Um gratuito, que acontece desde ontem até amanhã no Terreirão do Samba, e outro marcado para hoje, o Pós-carnaval do Dão, na Chácara do Baiano.

“Durante o Carnaval a gente espera um bom público, pois é evento gratuito, comida e bebida baratas. O pós-carnaval a gente faz sabendo que vai vender todos os ingressos, porque o pessoal volta com os amigos com quem viajaram ou querem curtir com o pessoal daqui”.

Quem aproveita o momento de crescimento de eventos são as bandas locais. Uma delas, a Sempre Bom, bastante conhecida na região, está com a agenda de shows bem cheia, com sete apresentações em cinco dias. Eles se apresentarão duas vezes em Uberlândia e Araguari, além de festas nas cidades de Coromandel, Prata e Santa Vitória.

Banda Sempre Bom durante show no Pré-Carnaval do Dão | Foto: Divulgação

Segundo o vocalista da banda, Lucão, o momento é importante para o crescimento do Carnaval em Uberlândia. Acho que isso tem sido um movimento bom para a cidade. Temos hoje um dos maiores pré-carnavais do interior do Brasil, que é o Pré-carnaval do Dão, além dos bailes em outros pontos da cidade, não só nos clubes, mas também em outros lugares”.

Ainda segundo o músico, além da população, que ganha opções de qualidade e, muitas vezes, gratuito, o mercado do entretenimento também é beneficiado. “A demanda tem aumentado e é bom para a cidade, como um todo, bom para gente que é daqui. A gente sabe que Uberlândia é um celeiro de artistas. Tem muita banda, profissional da música e entretenimento, empresas de estrutura e de som. E isso movimenta o mercado como um todo”, destaca o vocalista.

E com o retorno das grandes festas, também aumenta a procura por shows. “Foi um movimento que sentimos esse ano com a economia do país reagindo. Nós tivemos um aumento na demanda por shows. Nossa agenda, no período da alta temporada que a gente fala que é até o fim do Carnaval, está sendo o melhor em seis anos. É um reflexo do crescimento da economia e está refletindo no entretenimento para a gente, que é muito bom”, disse Lucão.
 
Clubes e bares
Com intuito de atrair novos frequentadores e oferecer uma opção de atividades, o Clube Caça e Pesca mudou o formato do Carnaval, e esse ano fará, pela primeira vez, a festa na piscina aquecida. Em anos anteriores, acontecia no salão do clube.

“Nesse formato é a primeira vez que fazemos a festa de Carnaval. Resolvemos mudar o formato para atrair um público maior e também sair da rotina das outras edições que a gente organizava nos anos anteriores”, explicou o coordenador geral do clube, Aderlânio Souza Santos.

Segundo Souza, essas mudanças acabam atraindo os foliões que buscariam se divertir em outras cidades, mas acabam encontrando o que gostam em Uberlândia. “As modificações que acontecem atraem o público. Uberlândia não tinha os carnavais que tem hoje. Tem locais, atrações diferentes. Nós buscamos atrações que acomodem o público que gosta do Carnaval, que vai para outra cidade, porque lá ele encontra. Então, para que não precise sair, tentamos fazer o possível para que eles fiquem aqui”.

Além das grandes festas, bares e restaurantes também se preparam para receber os foliões, com ambientes temáticos e promoções específicas para o Carnaval. Recém-inaugurado, o bar Porks, especializado em carne de porco, já trabalha em ritmo de pré-carnaval.

“Estamos com um concurso da melhor foto com fantasia de Carnaval e o porknose usando a #carnaPORKS ganha 1 mês de bacon melado grátis em todas as unidades do Porks do país. Além disso, temos promoções diárias do tipo happy hour com Chope a R$ 5 até às 20h e a distribuição de 150 vouchers de double chopp”, disse o gerente administrativo, Jose Carlos Correa Costa Júnior.

Durante os seis dias de CarnaPorks, haverá shows de blues, samba rock e rock. “As expectativas são as melhores possíveis. Queremos trazer para Uberlândia um local agradável e diferente de tudo daquilo que hoje a cidade oferece. Sempre garantindo comida gostosa, bebida gelada e música boa”.

Para o diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Fábio Luiz Bertolucci, ainda faltam mais opções para quem quer passar o Carnaval em Uberlândia. “A cidade não tem tradição carnavalesca, a não ser alguns clubes particulares que fazem seus eventos. Avalio que a cidade perde muitos moradores para outras cidades, como Nova Ponte, Cachoeira Dourada, Araxá, bem como locais de descanso como Serra da Canastra”.

Ainda segundo Bertolucci, os associados da Abrasel fazem uma troca de informações sobre quem vai fechar e quem vai ficar aberto para informar aos clientes e turistas onde podem ter almoços ou lanches disponíveis durante a folia. Mesmo sem muitos investimentos, alguns bares estão trabalhando na qualidade de atendimento para atrair os clientes.

“Acredito que nenhum restaurante ou bar tenha feito investimentos por conta do Carnaval, até mesmo porque a lei do silêncio não deixa que som incomode vizinhos depois da 22h. O que estamos fazendo é manter o padrão de atendimento e qualidade das refeições e torcer para que tenhamos um movimento satisfatório. No caso de BH, tivemos informações que a movimentação do carnaval agitou bares e restaurantes que se organizaram para milhares de turistas. Em Uberlândia, não temos esta demanda tão significativa”.







 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »