22/01/2020 às 18h45min - Atualizada em 22/01/2020 às 18h45min

NOVO não terá representantes nas eleições de 2020 em Uberlândia

Anúncio foi feito na terça-feira (21) por meio de nota publicada nas redes sociais do diretório local

SÍLVIO AZEVEDO
Confirmação de não participação no pleito foi publicada em rede social | Foto: Divulgação
O partido NOVO desistiu de indicar um candidato nas eleições municipais que acontecerão em outubro deste ano. O anúncio foi feito na terça-feira (21) por meio de uma nota publicada nas redes sociais do diretório local de Uberlândia.

A publicação informou que, mesmo com os apelos do Diretório Estadual e do Núcleo Uberlândia, a decisão foi exclusiva do Diretório Nacional do partido, que seguiu uma norma estabelecida com uma série de regras que as cidades deveriam cumprir, como ter mais de 300 mil habitantes, 150 filiados ativos até junho de 2019, ter captado R$ 60 mil reais para financiar a criação do diretório e ter pelo menos um candidato ao Executivo aprovado na seleção para prefeito.

De acordo com núcleo local, Uberlândia atingiu todos os pré-requisitos, menos o último. A cidade teve quatro candidatos que se dispuseram a disputar o pleito. Dois desistiram na primeira fase e um foi reprovado, também na primeira fase. O quarto foi aprovado na segunda fase, mas não na terceira etapa.

O presidente do Núcleo local do NOVO, Daniel Tinoco, disse que houve um movimento entre as lideranças locais do partido e o diretório estadual para tentar flexibilizar ou, pelo menos, rever e soltar um novo edital para a escolha de um candidato do partido ao Executivo.

 
“A gente já sabia da decisão da reprovação do candidato há algum tempo, desde dezembro. Desde então, estávamos batalhando pela flexibilização das regras, ser sensível a algumas particularidades que estamos passando, como esses 20 vereadores presos. Então a gente vinha batalhando junto ao [diretório] Estadual, mas o Nacional teve uma postura que não dá para criticar, pois o mesmo aconteceu em várias outras cidades do País, inclusive capitais”, disse.

A esperança era que Uberlândia fosse considerada a “cidade-aposta” de Minas Gerais, que terá processo para vereador, mesmo sem cumprir o critério de um prefeito aprovado. Porém, o diretório estadual acabou optando por Juiz de Fora, que também não atendeu ao critério.

“Essa foi uma opção que ninguém discordou, porque o núcleo de lá é um modelo para o interior. Tem muito mais filiados que Uberlândia e atingiu um grande volume em doações, na casa de R$ 120 mil”, afirmou.

A decisão do NOVO causou uma grande quantidade de desfiliações por pré-candidatos a vereador em Uberlândia. Para Daniel Tinoco, essas saídas são compreensíveis, mas ele enfatiza que houve também muita manifestação positiva sobre a forma com que o partido conduziu a decisão.

“Estão acontecendo duas coisas. A debandada de filiados que querem ser candidatos, que começou quando se anunciou a possibilidade de não participar [do pleito], e aí tem nomes muito bons. Mas também há pessoas que ficaram mais impressionadas e convictas de que o NOVO é um partido sério. E assim, está certo. Se a pessoa não tem perfil que o partido deseja para ser prefeito, não tem que participar das eleições.”

Um dos pré-candidatos a vereador, que pediu anonimato, falou com o Diário de Uberlândia sobre a decisão do partido. Ele disse que os filiados sabiam do risco de ficarem fora da disputa do Executivo, mas que foram pegos de surpresa com desistência da disputa do Legislativo.

 
“A gente sabia do risco e imaginava que poderia não ter um candidato a prefeito, mas em algum momento baixou um pouco a guarda e esperávamos que pudesse ter candidatos a vereador. E o NOVO mais uma vez nos surpreende com a rigidez na estratégia. É chapa completa. Se não tem chapa completa, não sai ninguém. Todos que não foram aprovados estão meio chateados com essa história”, disse.

Mesmo com a decisão, o filiado não sabe se muda de partido para ser candidato. “Se alguém me pergunta hoje, não [mudo]. Mas daqui a uma semana pode ser que eu mude de ideia se eu achar um lugar que possa me acolher, ou me identificar. Está tenso. É uma reflexão que farei com minha família, amigos próximos que me incentivaram nesse momento.”




 

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »